23 de agosto de 2016

Livros RTP | A Mancha Humana – Philip Roth

Chega esta semana às livrarias portuguesas o romance “A Mancha Humana”, de Philip Roth, com prefácio de Clara Ferreira Alves. Trata-se do quarto livro da Coleção Essencial – Livros RTP que, em edição de capa dura, será disponibilizado aos leitores pelo preço de 10 euros.

Sobre o livro

O segredo de Coleman foi guardado durante cinquenta anos: oculto da sua mulher, dos seus quatro filhos, dos seus colegas e dos seus amigos, incluindo o escritor Nathan Zuckerman, que – após a morte suspeita de Coleman, com a amante, num desastre de automóvel – resolve compreender como é que aquele homem eminente e íntegro, apreciado como educador durante quase toda a sua vida, forjou a sua identidade e como essa vida tão cuidadosamente controlada acabou por ser deslindada.
Situado nos Estados Unidos da América dos anos 90, onde princípios morais contraditórios e divergências ideológicas são trazidos à luz do dia através da denúncia pública e de rituais de purificação, A Mancha Humana completa a eloquente trilogia de Philip Roth sobre vidas americanas do pós-guerra tão tragicamente determinadas pelo destino da nação como pela «mácula humana» que marca de modo tão indelével a natureza do homem.

Sobre o autor
Em 1997 Philip Roth ganhou o Prémio Pulitzer com Pastoral Americana. Em 1998 recebeu a Medalha Nacional de Artes da Casa Branca e, em 2002, o mais alto galardão da Academia Americana de Artes e Letras, a Medalha de Ouro da Ficção, anteriormente atribuída a John dos Passos, William Faulkner e Saul Bellow, entre outros. Ganhou três vezes o PEN/Faulkner Award e o National Book Critics Award. Em 2005 A Conspiração contra a América recebeu o prémio da Sociedade de historiadores Americanos pelo «excecional romance histórico sobre um tema americano, relativo a 2003-2004». Roth recebeu dois dos mais prestigiados prémios do PEN: em 2006, o PEN/Nabokov «pelo conjunto da obra de originalidade constante e artisticamente perfeita» e, em 2007, o PEN/Saul Bellow de Consagração na Ficção Americana, dado ao escritor cujo apuro ao longo de uma carreira sustentada o coloca ao mais alto nível da literatura americana.

Roth é o único escritor americano vivo a ter a obra publicada numa edição completa e definitiva pela Library of America. Em 2011 Roth recebeu o Man Booker International Prize. Foi o quarto autor a receber esta distinção.

2020editora | Águias em Guerra de Bem Kane


Sobre o livro:

No ano 9 a.C., o Império Romano estende-se por grande parte do território germânico, impondo a sua ordem, cultura e impostos às diferentes tribos que outrora dominavam estas terras. Sob o comando do governador Varo, a paz reina há vários anos, para contentamento de alguns chefes tribais e descontentamento de outros.
Lúcio Tulo, destacado na Germânia, sob as ordens de Varo, é um centurião superior, com décadas de experiência em combate, dedicado ao exército romano. Amado e respeitado pelas suas legiões, Tulo comanda pelo exemplo e personifica toda a glória de Roma.
Armínio nasceu numa tribo germânica, os Queruscos, mas foi treinado como soldado romano e tornou-se um oficial da cavalaria de Roma, reconhecido pela sua valentia em batalha. Conhece como ninguém as tácticas de combate e goza da confiança dos mais altos cargos romanos. No entanto, secretamente, há anos que aguarda o momento certo para unir as tribos germânicas contra Roma e reclamar de volta a sua pátria.
Esse momento finalmente chegou. Armínio planeia a emboscada perfeita ao poderoso exército romano, numa batalha sangrenta que ficará para a História. Entre ele e a sua vitória está apenas um homem: Lúcio Tulo.

Sobre o autor

Nasceu em 1970, no Quénia, mas mudou-se para a Irlanda com a família quando tinha 7 anos. Estudou Medicina Veterinária, em Dublin, e depois viajou extensivamente pelo mundo, dando largas à sua paixão por História antiga. Visitou quase 70 países, em todos os continentes. Hoje, vive em Inglaterra com a sua mulher e a família.

É um romancista histórico bestseller do Sunday Times, especializado na época do Império Romano, conhecido por várias séries dentro deste mesmo género. Os seus livros já foram publicados em mais de dez países, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Grécia, Rússia e Holanda.

21 de agosto de 2016

Novidades Gradiva

Iúri Buida | Sangue Azul Gelado


De um dos maiores nomes da literatura russa contemporânea, a Gradiva publica para o seu Verão Sangue Azul Gelado, um romance onde se prova que os temas de sempre podem ser abordados com originalidade. Esta é a história de Ida Zmoiro, que tinha tudo para uma longa vida como actriz. Inspirando‑se nesta figura feminina marcante, o autor retrata um regime onde o indivíduo pode gozar da sua fama mundial sendo fiel ao ditador, mas «desaparece» logo que ousa ir contra as regras da ditadura. Drama, paixão, acontecimentos estranhos, alusões literárias reúnem‑se num livro que nos traz o melhor da literatura russa, por um autor frequentemente premiado.

António Pinto Pereira | Dossier U ‑235


Terroristas islâmicos cruzam‑se com uma rede de tráfico de urânio enriquecido a caminho de Lisboa. O professor Mendonça, responsável pelo departamento de terrorismo e contra-terrorismo do SIS, procura estabelecer as ligações desta complexa e perigosa teia de interesses.
Conseguirá evitar a implosão planeada da Torre de Belém, onde será assinado o novo Tratado de Lisboa II? Um thriller empolgante que leva o leitor a viajar por cidades tão distantes como Lisboa, Dubai, Cairo ou Zurique, que junta a Suprema Ordem da Luz de Ouro de Melki‑Tsedek a uma multinacional das novas tecnologias e que reúne personagens diversificados, de culturas distintas. O terrorismo para o centro de Portugal. Uma leitura sem paragens!

Harry G. Frankfurt | Sobre a Desigualdade


Muitos consideram a desigualdade como um dos principais problemas sociais. Mas o combate à desigualdade é frequentemente confundido com o combate à pobreza. Harry G. Frankfurt, um dos filósofos morais mais influentes da actualidade, argumenta que estamos moralmente obrigados a eliminar a pobreza, não a diminuir a desigualdade. Num livro provocador, o autor apresenta respostas convincentes e consistentes sobre o tema.

Antoine Compagnon | Um Verão com Montaigne


Pequeno em dimensão, profundo na análise. Com uma escrita acessível, em quarenta breves capítulos, o autor leva‑nos a descobrir um Montaigne estival e estimulante. Evidenciando a actualidade e a densidade histórica de Ensaios, é uma excelente forma de acompanhar o pensamento do filósofo francês do séc. XVI que nunca perdeu actualidade.

Laura Owen e Korky Paul | Que Comichão, Mimi!


Mais aventuras variadas e divertidas neste novo livro infanto‑juvenil com 4 histórias da Mimi e do gato Rogério. Com a casa inundada, decidem ir para a praia onde uma Mimi mini quase desaparece. Depois recuam ao tempo dos dinossauros e descobrem coisas incríveis. Mas o pior de tudo é quando a Mimi tem de preparar o casamento da irmã. Alguém consegue imaginar? A última história é de invasores. Não, não é desses. É daqueles que se instalam na cabeça. Que comichão!

Novidade Porto Editora | Moonlight Mile - Dennis Lehane


Sinopse:
«Lembra-se de mim?», interroga, do outro lado da linha, a voz que arranca Patrick Kenzie do sono profundo. Uma voz feminina e uma frase em jeito de ameaça: «Encontrou-a uma vez. Volte a encontrá-la. Deve-me isso.»
No dia seguinte, eis que ela surge de novo, no cimo das escadas do metro. Um rosto marcado pelo tempo e pela mão severa do destino. Um rosto que Kenzie não esperava rever.
Há doze anos aquela mulher pedira-lhe que encontrasse a sobrinha Amanda, de quatro anos, que desaparecera. Os detetives privados Kenzie e Angie Gennaro tiveram sucesso, mas o caso deixou-lhes um amargo de boca: a menina foi devolvida aos cuidados de uma mãe negligente e alcoólica; e os raptores que, afinal, não queriam mais do que entregá-la a uma família que cuidasse bem dela, foram sentenciados a duras penas de prisão.
Por isso agora que Amanda, com dezasseis anos, desapareceu novamente, Kenzie sente-se obrigado a investigar. Mais a mais porque também ele sabe o que é ter uma filha e o que um pai está disposto a fazer para a ver feliz. A sua investigação será o começo de uma viagem ao coração de um mercado sombrio, onde se traficam identidades e adoções. Um mundo onde o bem pode assumir os contornos do mal, e o mal camuflar-se de bem. Um precipício do qual é melhor não nos aproximarmos muito.

20 de agosto de 2016

Novidades Planeta

A Rapariga do Calendário - livro 2 | Audrey Carlan


A jornada de Mia Saunders, acompanhante por força das circunstâncias, continua neste segundo volume de A Rapariga do Calendário! Nos três meses que se seguem, Mia viaja para Boston, Oahu e Washington DC.
Em Abril, faz-se passar pela namorada do mulherengo Mason Murphy, um jogador de basebol profissional que precisa de melhorar a sua imagem, e acaba por descobrir que ele não é exactamente aquilo de que estava à espera.
Maio encontra Mia a incendiar o sangue de Tai Niko, modelo fotográfico e intérprete da dança do fogo samoano, enquanto participa numa campanha publicitária que tem como objectivo demonstrar que a beleza não é uma questão de tamanho.
Em Junho, a missão de Mia é servir de enfeite de braço a Warren Shipley, membro do grupo conhecido como Um por Cento. Enquanto finge ser uma caçadora de fortunas, descobre que Warren tem de facto um coração de ouro. Pena é que o atraente filho, Aaron, senador pela Califórnia, não seja em nada parecido com o pai.

LISBOA À MESA/COMER EN LISBOA | Miguel Pires
Muito mais do que um guia de restaurantes, Lisboa à Mesa é um verdadeiro guia gastronómico da cidade, com os melhores sítios onde comer e onde comprar os melhores produtos e ingredientes, ideal para os residentes e os milhares de turistas que visitam a capital.
Nesta edição em língua espanhola, há 150 entradas com a descrição, a pontuação e a opinião do autor, um dos mais activos e destacados críticos gastronómicos da e um dos responsáveis do blogue Mesa Marcada. O Guia está organizado por 15 zonas geográficas de Lisboa, e com um sistema de índices para encontrar tudo o que precisa.

AS AVENTURAS DO JOVEM JULES VERNE - No Fundo do Mar


Jules e os amigos observam, atónitos, como os pescadores de Nantes voltam ao porto com os barcos carregados de peixes esverdeados e malcheirosos, mortos muito antes de terem ficado presos nas redes.
Alguma coisa está a envenenar a costa, enquanto na cidade, uma sinistra organização quer fazer crer que é tudo por culpa do progresso. Os jovens aventureiros não duvidam em zarpar com o capitão Nemo a bordo do Nautilus para averiguarem a causa do desastre.
O que Caroline, Huan e Marie não sabem, mas Jules adivinha, é que não vão observar a superfície do mar – antes descer às profundezas e às suas inimagináveis maravilhas... e ameaças.

GATOS GUERREIROS - A Hora Mais Negra | Erin Hunter


Chegou o tempo de as profecias se cumprirem e de os heróis se mostrarem, pois a sede de poder de Estrela de Tigre mergulhou a floresta no mais terrível dos perigos.
Para salvar o seu clã, Coração de Fogo terá de decifrar o sentido de uma tenebrosa profecia: «Quatro tornar-se-ão dois. O leão e o tigre defrontar- se-ão em combate e o sangue será a lei da floresta.»

Opinião – Viver Depois de Ti de Thea Sharrock


Sinopse
Lou Clark, uma rapariga do interior, não tem muitas ambições na vida e trabalha como empregada de balcão num café. Após o encerramento definitivo do estabelecimento, teve de procurar um novo emprego. Sem muitas qualificações, aceita a vaga para cuidar de Will Traynor, um empresário tetraplégico que descarrega toda a sua amargura, naqueles que estiverem por perto e que está a planear dar um fim ao seu sofrimento.

O que Will não sabe é que Lou está prestes a mudar a sua vida.

Opinião por Artur Neves
Ao ler o nome deste filme sugere-nos uma história de drama, de dor pela morte de alguém. Ao ver o poster porém, essa sugestão dissipa-se considerando o sorriso rasgado dos dois presumíveis protagonistas, recortados contra um fundo neutro que não acrescenta nada à imagem. Ao procurar informação adicional constata-se que o filme adapta a obra homónima de 2012, do escritor Inglês Jojo Moyes, que também foi o autor do argumento, para a realização da primeira longa-metragem de Thea Sharrock com alguma obra em séries para televisão.
Com estes dados a opção foi assistir ao filme considerando que A priori nada indiciava o seu verdadeiro conteúdo. No geral é uma história sobre a vida de alguém que sofre um desastre que o torna tetraplégico, e a partir de certa altura, passa a ser assistido nas suas insuficiências por Lou Clark (Emilia Clarke) e é aqui que começam as incongruências. Lou Clark é pouco mais do que uma idiota, considerando o seu comportamento corrente, as suas atitudes, as suas expressões faciais com um encurvamento de sobrancelhas que lhe conferem uma expressão apalhaçada (sem ofensa para os palhaços porque actuam noutro contexto) e um sorriso inconsequente e risos frequentemente inapropriados à acção e não poucas vezes, inexplicáveis para a cena em apreço (muito riso, pouco siso). Apresenta ainda uma fixação inexplicável por chá, sem que, durante todo o filme, esse elemento tenha uma aparição relevante.
Logo no início do filme somos induzidos a perceber o acidente que motivou a paralisia de Will Traynor, (Sam Claflin) e o “amarrou” a uma cadeira de rodas da nova geração, com iPod e outras modernices tecnológicas que não compensam de forma alguma a perda total de mobilidade e de independência que justifica o seu mau humor quase constante, a sua tristeza e o seu secreto e legítimo desejo de opção por uma morte assistida que ele está a preparar com o seu advogado. Todavia o filme apresenta-nos sempre um personagem em pose de sentado ou deitado, sem nunca se vislumbrar as suas dificuldades motoras, ou simplesmente qualquer limitação impeditiva da mais elementar incapacidade fisiológica, numa história que apresenta a eutanásia como um recurso de direito implícito.
Claro que um ser humano naquela condição deve ter o direito de decidir sobre o seu destino, mas as suas razões devem ser mostradas, em vez do caminho que o filme segue, pela tentativa de recuperação da “alegria de viver” (verdade?...) através das “invenções” de uma quase atrasada mental, que após confrangedoras situações porque faz passar o seu patrão ainda fica chocada e ofendida quando se apercebe que ele continua firmemente decidido pela opção de morte assistida. A ofensa é todavia de pouca duração, pois logo a seguir dá-lhe um rebate de consciência, afivela o seu melhor sorriso, arqueia as sobrancelhas, enruga a testa, e voa para a Suíça, para os braços do seu amado, já no último estágio do seu objectivo libertário, para uma despedida romântica ao melhor nível das novelas Mexicanas.
O mau gosto porém não se fica por aqui. O epílogo desta história é vivido em Paris, numa esplanada onde ela toma conhecimento da derradeira carta de Will Traynor e do dinheiro que ele lhe deixa, que lhe motiva o mesmo sorriso que já víramos antes durante todo o filme e o impulso de compra de um perfume de marca.
Ora bolas meus senhores, este filme é uma verdadeira pessegada pela forma como é apresentada. O tema é verdadeiramente dramático e já tem sido abordado com inerente dignidade, tal como em; “Sonhos Vencidos” de Clint Eastwood, o filme brutal que é “Mar Adentro” de Alejandro Amenabar, ou mais recentemente; “Amigos Improváveis” de Eric Toledano. Esta versão deste drama é um completo desconchavo.
Classificação: 3 numa escala de 10

Marcador | O Segredo do Escritor – Liz Nugent


Sinopse

O atraente e carismático Oliver Ryan é a imagem do sucesso. Ele e a mulher Alice, levam uma vida invejável de privilégio e bem-estar. Invejável até que certa noite, depois do jantar, Oliver agride Alice com tal violência que a deixa em coma.
O próprio Oliver fica aturdido com o seu gesto. No período que se segue, enquanto todos tentam perceber o que terá motivado esse surpreendente ato de selvajaria, Oliver conta a sua história. E o mesmo fazem aqueles com quem a sua vida se cruzou ao longo de cinco décadas. A verdade é ao mesmo tempo trágica e monstruosa, uma história de vergonha, inveja, fraude e manipulação.
Só Oliver sabe o que teve de fazer para alcançar a vida que ambicionava e que sentia ter direito. Mas nem mesmo ele está preparado para o choque que a revelação do passado lhe reserva.
O Segredo do Escritor é uma história invulgar de tensão psicológica, um retrato complexo e empolgante sobre a génese de um sociopata, na tradição de Barbara Vine e de Patricia Highsmith.

Sobre o autor

LIZ NUGENT trabalhou durante a quase totalidade da sua vida adulta na televisão, no teatro e no cinema irlandeses. É autora premiada de teatro televisivo e radiofónico e escreveu diversos contos para crianças e adultos. O Segredo do Escritor é o seu primeiro romance.

Verão Keds é ouro sobre azul

O VERÃO COM KEDS É OURO SOBRE AZUL


A Keds, icónica marca do logotipo azul que há várias gerações define o estilo casual, sugere que tenhas um Verão fantástico com os modelos mais cool da estação.
Junta-te à celebração dos 100 anos da marca americana com os seus modelos casual chique, porque o Verão com Keds é ouro sobre azul.







19 de agosto de 2016

Magnolia apresenta Coleção Geométrica

Magnolia apresenta Coleção Geométrica


Descobrir a Magnolia está muito além de ficar a conhecer uma marca que é líder mundial em joalharia prata feita à mão. Depois da descoberta, são muitas as novidades que nos chegam de Israel, onde 25 designers criam joias em exclusivo para uma marca que se renova durante todo o ano. Por este motivo a Magnolia é uma marca que se descobre a cada mês que passa, como propostas que vão encontro de mulheres que gostam de moda e principalmente de si próprias, ou não fosse uma joia o melhor investimento pessoal que se pode fazer.


Para os meses quentes de Verão a Magnolia revela mais uma vez a sua criatividade e sugere joias geométricas, uma das tendências fortes desta estação. Nesta coleção encontram-se pendentes, anéis, pulseiras e brincos inspiradas nos anos 60 e na Art-Deco, que acrescentam um toque de arte e sofisticação a qualquer estilo, do mais festivo ao mais descontraído. Com o bronze do Verão a conjugar com acabamento em ouro de 14 K e o brilho das zircónias, destacam-se as figuras geométricas neste jogo de ton sur ton.
Este Verão mime-se com tudo o que merece ou presenteie alguém com uma peça que revela bom gosto e valor eterno. Celebre a vida e seja feliz com a Magnolia! 

Novidade Topseller | A Maldição do Vencedor - Marie Rutkoski


Sinopse:
Kestrel, jovem filha do poderoso general de Valoria, tem apenas duas opções: alistar-se no exército ou casar-se. Ela tem, no entanto, outras aspirações e procura libertar-se do seu destino, rebelando-se contra o pai.
Num passeio clandestino pela cidade, Kestrel vai parar a um leilão de escravos, onde se depara com um jovem, Arin, que parece querer desafiar o mundo inteiro sozinho. Num impulso, ela acaba por comprá-lo — por um preço tão alto, que a torna alvo de mexericos na sociedade.
Arin pertence ao povo de Herrani, conquistado dez anos antes pelos Valorianos. Além de ser um ferreiro exímio, revela- se também um cantor extraordinário, despertando a curiosidade de Kestrel. Arin, contudo, tem um segredo, e Kestrel não tardará a descobrir que o preço que pagou por ele poderá custar muito mais do que aquilo que alguma vez imaginara.

16 de agosto de 2016

Marcador | As Rochas – Peter Nichols


Tendo como cenário uma bela e assombrosa paisagem mediterrânica, com os seus olivais a perder de vista, este livro recupera o conforto familiar entre expatriados na ilha de Maiorca e procura descobrir um segredo com décadas: qual terá sido o acontecimento misterioso e catastrófico que levou à separação de dois noivos em lua-de-mel, em 1948, de uma forma tão repentina e definitiva que nunca mais voltaram a falar-se, embora ficassem a viver na mesma ilha por mais sessenta anos?
E de que forma, tantos anos mais tarde, a sua história influenciou o romance, ao estilo trágico de Romeu e Julieta, dos seus respectivos filhos? Centrada num conhecido alojamento de férias à beira-mar e nos seus hóspedes glamorosos que desfrutam da boa vida, do vinho, do sol, do sexo e das festas, esta é uma dupla história de amor que começa com um mistério que se vai adensando década após década.

Sobre o Autor

PETER NICHOLS é autor dos bestsellers internacionais; A Voyage for Madmen e Evolution’s Captain, e três outros livros de ficção, memórias e não-ficção. Passou três anos no mar como comandante e foi professor de Escrita Criativa na Georgetown University, na New York University, em Paris e na Bowdoin College, no Maine. Trabalhou em publicidade, foi pastor no País de Gales, trabalhou como argumentista e fez a travessia do Atlântico sozinho. Divide o seu tempo entre a Europa e os Estados Unidos. É professor no programa Master in Fine Arts, da Antioch University Los Angeles.

Marcador | Confissões de uma Médica – Sofia Serrano


Ser médico é mais do que a experiência clínica e a habilidade com o bisturi. No registo pessoal de quem escreve um diário, tão emocionante como divertido, tão sincero como comovente, esta obstetra/escritora mostra-nos os bastidores da vida hospitalar e familiar de uma médica, desvendando os segredos e o lado humano de alguém que também é mãe, e mulher, e que precisa desesperadamente do seu café para superar as maratonas das urgências.
Em alguns momentos, a vida de uma médica até pode ter a mesma emoção das séries de televisão, mas a realidade – o dia-a-dia num serviço de urgências – não pode ser inventada por guionistas nem reduzida a episódios de 50 minutos; a realidade é sempre mais imprevisível e profunda do que a ficção.
Ao longo de vários anos, Sofia Serrano escreveu sobre a sua realidade diária: o trabalho árduo e aparentemente infinito durante o curso de medicina, a primeira autópsia, o primeiro parto por cesariana, as noites em branco e os turnos de 24 horas, os 110 nascimentos no seu primeiro ano de internato, a pressão de ter de tomar decisões, em segundos, que podem salvar uma vida.

Sobre a Autora

SOFIA SERRANO Em pequena, queria ser astronauta, depois jornalista, mas acabei por me apaixonar pela medicina, e a obstetrícia conquistou-me no dia em que assisti à magia de um parto. Apaixonada por ecografia obstétrica e medicina materno-fetal, sou também vice-presidente da delegação do Algarve da Associação para o Planeamento da Família (APF), onde posso ajudar a fazer a diferença na saúde das pessoas. Mãe malabarista, divido-me entre a família, que adoro, a paixão pela profissão exigente, o desafio de ser saudável e um amor de sempre que é escrever. Em 2012, criei o _blogue Café, Canela & Chocolate, onde escrevo regularmente sobre medicina, maternidade, viagens e outros temas.

11 de agosto de 2016

Casa das Letras | OUTLANDER 4 Os Tambores de Outono – Diana Gabaldon


Sinopse

Os Tambores de Outono tem início na Escócia, num ancestral círculo de pedras de Craig na Dun. Ali, uma porta abre-se para um grupo restrito, podendo levá-los para o passado – ou para a sepultura. Claire Randall sobreviveu à passagem, não uma mas duas vezes.
A sua primeira viagem no tempo levou-a para os braços de Jamie Fraser, um bravo guerreiro escocês do século XVIII que tinha por ela um amor que se tornou lenda – um conto trágico de paixão que teve o seu fim quando Claire voltou ao presente carregando no ventre uma filha dele. A sua segunda viagem, duas décadas depois, voltou a uni-los na América colonial.
Mas Claire deixou alguém para trás no século XX… a sua filha Brianna. Agora Brianna faz uma perturbadora descoberta que volta a levá-la para o círculo de pedras e para um aterrador salto para o desconhecido. Na busca da mãe e do pai que nunca conheceu, arrisca o seu próprio futuro ao tentar mudar a história… para salvar as suas vidas. Mas quando Brianna mergulha no desconhecido, um encontro inesperado pode amarrá-la para sempre no passado… ou levá-la para o lugar onde deveria estar, onde pertence o seu coração…

Sobre a autora
Diana Gabaldon é uma escritora americana de ascendência mexicana e inglesa. Licenciada em Zoologia, mestre em Biologia Marinha e doutorada em Ecologia, foi professora universitária durante 12 anos, mas acabou por ser a escrita a conquistá-la. Gabaldon vive em Scottsdale, Arizona, com a família e dedica-se exclusivamente a escrever a sua série de sucesso Outlander, publicada em 26 países e 23 línguas.

A série está a ser adaptada à televisão por Ronald D. Moore e encontra-se em exibição, no nosso país, no canal TV Series.

Opinião – “O Demónio de Neon” de Nicolas Winding Refn


Sinopse


Jesse, uma aspirante a modelo, muda-se para Los Angeles, e rapidamente vê a sua juventude e vitalidade sugadas por um grupo de mulheres obcecadas com a beleza, que farão o que for necessário para ter aquilo que ela tem.

Opinião por Artur Neves

Esta é uma história de glamour, passerelles e mulheres belas que procuram o seu lugar ao sol seja a que preço for. O problema é que o tempo para o conseguir é escasso e furtuito. Nada nas suas vidas é constante, a natureza muda do dia para a noite e este filme mostra-nos essa vacuidade de uma forma extraordinariamente sugestiva e impressiva. O filme não se detém sobre a moralidade do “mercado da carne” ao serviço da moda, nem tão pouco sobre a perversão da beleza que utiliza, mas antes mostra-nos em takes perfeitamente definidos e cirurgicamente trabalhados em todos os detalhes o limite da perversão humana na obtenção dos seus objectivos quando cegamente vectorizados.
Nicolas Winding Refn, Dinamarquês de origem, realizador e autor do argumento deste filme, já nos tinha surpreendido anteriormente em obras de semelhante profundidade embora sobre outros temas, refiro-me a “Só Deus Perdoa” (2013) sobre a vingança e “Bronson” (2004). Nesta história porém, todos os limites são ultrapassados numa primeira parte aparentemente “normal” mas onde se prepara o ambiente e a motivação para a explosão gore numa segunda parte, corporizando a assombração dos desígnios da condição humana, quando afectada pela raiva e pela inveja inultrapassáveis do fracasso, sem esperança de retorno ou remissão.
Esta história mostra-nos também a simplicidade da verdadeira beleza, de que me recordo de alguém ter dito; “A verdadeira beleza não é a que se vê mas a que se adivinha”, que parecendo igual, possui em si artefactos que a diferenciam, que cativam quem a observa mas também capturam quem a possui, como se a sua permanência devesse ser imune ao contexto que a cerca, para preencher a nossa necessidade de perfeição tangível. O fotógrafo principal das sessões apreendeu isso ao primeiro olhar e isso é-nos mostrado de uma forma inteligente.
Todo o filme é realizado a “régua e esquadro”, procurando uma perfeição geométrica através da sequenciação de cenas completas mas que se complementam entre si na visualização da história que o filme conta. A música faz o resto, o ritmo é House, e a sua aparição está meticulosamente preparada de acordo com a tensão que se constrói no desenvolvimento da acção. Filme bem estruturado, bem descrito e construído, com cenas surpreendentes, que vale a pena ver por constituir também uma denúncia sobre o negócio da moda.
Classificação: 8 numa escala de 10

Novidade Leya | Um Mapa Para Chegar ao Coração da Criança - Miguel Mealha Estrada

Um Mapa Para Chegar ao Coração da Criança
Miguel Mealha Estrada

Este livro revela-lhe a forma como uma criança vê e sente o mundo desde a gestação até à pré-adolescência e dá-lhe um mapa detalhado que o ajuda a chegar ao coração dos mais pequenos. Da gestão à pré-adolescência.
Alguma vez imaginou o que pensa um bebé quando está na barriga da mãe? E o que passa pela cabeça de uma criança enquanto cresce? Porque é que faz birras? Que medos e mudanças desperta nos pais? Que conflitos emocionais a assombram? O que é que ela gostaria que os pais entendessem quando se zangam com ela? Como transporta ela o seu mundo interno para o sistema educativo?
Não sendo um manual de instruções, Miguel Estrada, partilha algumas vozes abstractas das crianças com quem se cruzou ao logo dos seus anos de experiência clínica, partilhando as angústias, receios e alegrias que as fazem expandir, mas também a esperança e estados de espírito que as inquietam em cada etapa do seu desenvolvimento.
Demonstra-nos que nenhum comportamento é anormal, tudo tem uma causa. Uma determinada atitude, por mais inadequada que seja, resulta sempre da forma como uma criança percepciona o mundo e se sente perante ela própria e os outros.
Este livro é «Uma ‘história’ de desenvolvimento humano que nos proporciona a viagem que porventura ainda não fizemos. Um livro a ler para se reler.» Com o prefácio do Prof. João Gomes-Pedro

Sobre o Autor:
Miguel Mealha Estrada é psicoterapeuta da infância e da adolescência. Licenciou-se em Psicoterapia Clínica (crianças e adolescentes) no Reino Unido. Em Inglaterra, desenvolveu centros terapêuticos familiares para crianças e jovens com autismo e especializou-se em neurodesenvolvimento. Criou projectos na área da saúde mental em escolas do Norte de Londres. Concluiu uma pós-graduação na Carl Jung Clinic e um mestrado em Psicoterapia da Infância, Adolescência e Família. Dedicou toda a carreira à prática clínica. Regressou a Portugal em 2012, onde dá consultas.

10 de agosto de 2016

Novidade Booksmile | O Segredo do Wookiee da Sorte - Tom Angleberger

O Segredo do Wookiee da Sorte 
Tom Angleberger

Depois de O Estranho Caso do Yoda de Origami (Booksmile, 2015) e Darth Papel Contra-ataca (2016), as divertidas personagens Star Wars estão de regresso no terceiro volume da série bestseller internacional Origami Yoda.

O Segredo do Wookiee da Sorte vai fazer as delícias, não só dos fãs do mítico universo Star Wars, como de todos os miúdos que gostam de histórias divertidas.
Com o Dwight suspenso, a Escola Básica McQuarrie perdeu o seu aluno mais famoso: o Yoda de Origami. E, sem o Yoda, não há mistérios nem casos para resolver. Tommy começa a pensar que nunca mais encontrará algo interessante sobre o que escrever, até que um dia acontece uma coisa BRUTAL.
Uma coisa GRANDE e PELUDA. É um Wookiee da Sorte, um quantos-queres de papel em forma de Chewbacca. Sara trá-lo para a escola como presente para o Dwight e ele parece dar conselhos tão bons como os do Yoda. Só falta saber de onde e como é que ele apareceu. Mistério!

«A diversão continua no terceiro livro da série Yoda de Origami, de Tom Angleberger. Diálogos cheios de humor são temperados com histórias de amizade e divertidas referências ao Star Wars.» - Kirkus Reviews

Sobre o Autor:
Tom Angleberger é autor da série bestseller Yoda de Origami. É também autor de Fake Mustache e de Horton Halfpott, nomeado para um prémio Edgar. Há muito, muito tempo que é fã da saga Star Wars e de orgami. Em www.OrigamiYoda.com encontras fotografias de algumas das suas dobragens e de outras incríveis obras de arte enviadas por leitores.

9 de agosto de 2016

Novidade Bertrand | A Ordem Oculta - Brad Thor

A Ordem Oculta
Brad Thor
Considerado por muitos leitores o melhor livro de Brad Thor 

Um thriller vibrante e atual. O livro A Ordem Oculta é considerado por muitos leitores internacionais e pela imprensa de renome, como o Washington Post, uma das melhores criações de Brad Thor e agora os fãs portugueses vão poder comprová-lo em breve, pois o livro está disponível nas livrarias a partir do dia 5 de agosto.
A Ordem Oculta é um thriller para fazer acelerar os batimentos cardíacos, como referiu o próprio autor em entrevista, pois são vários os elementos que tornam este enredo verdadeiramente emocionante e repleto de ação: conspiração, política e intriga internacional, organizações secretas, e o protagonista habitual, o ex-SEAL Scot Harvath, que acompanha as histórias de Brad Thor. «Harvath sabia que não devia questionar o Velho, ou não fosse o homem uma lenda viva no mundo da espionagem. Com mais de três décadas ao serviço da CIA, ajudara a estabelecer o núcleo antiterrorista da agência antes de se reformar e decidir fundar a sua própria empresa. Se o Velho lhe fizera saber que precisava dele com urgência, é porque precisava dele com urgência.»

«Quem achar que a única coisa a temer é o próprio medo devia conhecer Brad Thor.»
- Newsweek -

Sinopse:
A organização mais secreta da América age sem prestar contas aos americanos. Escondida na sombra, fingindo pertencer ao governo norte-americano, o seu poder é incomensurável. Mas agora esta organização acabou de ficar fora de controlo, e o futuro da nação está em perigo. Quando os cinco candidatos a liderar esta agência desaparecem, Scot Harvath, agente de contraterrorismo, é chamado a Washington para liderar a perseguição mais feroz alguma vez levada a cabo em solo americano. Mas, à medida que os candidatos vão começando a aparecer mortos, esta perseguição transforma-se num espetáculo público. Com o seu país à beira do colapso, Harvath tem de desvendar uma rede de conspiração secular e destruir a maior ameaça que a América alguma vez enfrentou.

Sobre o autor:
Brad Thor estudou Escrita Criativa na Universidade da Califórnia do Sul e trabalhou no Programa Analítico Célula Vermelha, do Departamento de Segurança Interna. É o fundador da Thor Entertainment, uma empresa premiada que exporta conteúdos para todo o mundo. Todos os seus livros são best-sellers do New York Times. 
www.BradThor.com

8 de agosto de 2016

Opinião – “Mas que Família É Esta?” de Gabriel Julien-Laferrière


Sinopse

Bastien, 13 anos, é filho único… mais ou menos. Os divórcios e namoros de seus pais e padrastos resultaram em seis meios-irmãos e irmãs. Isto significa muitas mães, muitos pais e muitos quartos em que as crianças passam algumas noites antes de irem para casa de outro dos seus pais. Bastien fartou-se e põe em acção um plano revolucionário: os miúdos vão viver num só local e vão ser os adultos a fazerem as rotações.
Confrontados com as complicações que impingiram na vida dos seus filhos, os pais aceitam experimentar, com relutância, este novo plano de Bastien… esperando secretamente que tudo volte ao normal. Mas nada acaba como esperado e são os adultos que, graças aos sete filhos, descobrem que uma família fragmentada se pode unir em solidariedade nesta confusão de casa.

Opinião por Artur Neves

São de facto muitos os membros desta família resultante de vários casamentos e “descasamentos” (divórcio será um termo demasiado sério para o que se passa aqui) donde resultou uma extensa prole que sofre com as mudanças de local de habitação ao sabor da convenção e da disponibilidade dos adultos que os enquadram. Daqui resulta uma verdadeira “Revolta na Bounty”, por parte dos mais novos, que vai expor as limitações e os conflitos dos nossos cânones sociais que apesar de serem conhecidos e reconhecidos, só muito lentamente as sucessivas gerações vão encontrando soluções adaptadas, ainda que individuais e particulares de cada caso.
Claro que em registo de verão quente… muito quente… esta temática tão nuclear da nossa existência colectiva, só pode ser abordada de modo ligeiro, embora na história, nos diálogos, nas acções e nas escolhas que desfilam aos nossos olhos toda a problemática está bem retratada em toda a complexidade dos relacionamentos heterossexuais versus casamento. Através dos tempos os relacionamentos mantiveram-se e mantêm-se, os casamentos é que têm de mudar e mudam, porque no limite, o amor continua e é perene como a relva.
Meu caro leitor, não se admire com a minha prosa, pois eu entendo que não há assunto por mais sério que seja, que não possa ser abordado com ligeireza, tal como neste filme, que pega nesta eterna questão, de “cernelha”, expurga-lhe o sofrimento inerente, reformula a acção do ponto de vista de um punhado de jovens actores bem conduzidos, e apresenta-nos esta problemática pelo lado lúdico das inconveniências de calendário, da confusão dos horários e das obrigações e de outras condicionantes exógenas dos adultos que lhes deram origem e apresenta-nos um filme bem-disposto, coerente, surreal q.b., que nos faz passar um tempo divertido e até por vezes emotivo.
A história está razoavelmente bem urdida, Bastien (cujo nome do jovem actor não consegui encontrar) corporiza um líder convencido do seu papel, que nos faz sorrir e também pensar na continuidade do amor, embora adaptado à época. No final temos um filme que podemos classificar como; “água com açúcar” mas que se lhe juntarmos uma parte de sumo de citrino e adicionarmos um pouco de gás, ficamos com uma bebida para ser tomada bem fresca, capaz de amenizar a temperatura dos dias.

Classificação: 5,5 numa escala de 10

Novidade Pergaminho | Curar as Cinco Feridas - Lise Bourbeau

Curar as Cinco Feridas
Lise Bourbeau
Como ultrapassar a rejeição, o abandono, a humilhação, a traição e a injustiça
 
Tomar consciência do grau de importância de cada uma das cinco feridas da alma e como curá-las através da aceitação é o que propõe Lise Bourbeau com o livro Curar as Cinco Feridas, que chega às livrarias no próximo dia 5 de agosto. Este livro surge no seguimento de As Cinco Feridas Que Impedem a Felicidade – um título que bate continuamente recordes de vendas e que está traduzido em 16 línguas – em que a autora dedicou um capítulo à cura das feridas. Porém, os leitores continuavam a pedir mais ajuda e orientação sobre este tema e, assim, Lise Bourbeau decidiu dar a conhecer as numerosas novas descobertas desde escreveu aquele livro e, sobretudo, destacar a cura dessas feridas que fazem tanta gente sofrer.
São nove os capítulos de Curar as Cinco Feridas, sendo que desde logo a autora faz uma breve revisão das cinco feridas: rejeição, abandono, humilhação, traição e injustiça. Lise Bourbeau apresenta também um conjunto de respostas às perguntas mais comuns sobre este assunto, passando ainda pelo maior obstáculo à cura das feridas – o ego – até chegar ao capítulo da cura e dos seus benefícios. «Sabes que estás no caminho da cura quando tens consciência que foi ativada uma ferida, quando és capaz de observar a dor da ferida e te permites ser humano. Podes verificar que ultrapassaste estas etapas quando não sentes necessidade de usar a máscara associada à ferida e, portanto, não tens nenhuma reação. A aceitação traz consigo um suspiro de alívio, faz desaparecer gradualmente a dor e traz-te de volta ao momento presente. Encaras então o conjunto da situação como uma lição de vida», afirma Lise Bourbeau.

Sinopse:
«Todos nós vimos ao mundo com feridas que temos de aprender a aceitar. Estas desenvolveram-se ao longo de numerosas encarnações e, de acordo com o nosso plano de vida, algumas serão mais dolorosas do que outras. O sofrimento tem um grau diferente para cada um e a maior parte de nós não sabe de onde ele vem, nem o que fazer para o suspender. Tudo o que sabemos é que inúmeras pessoas e situações nos fazem reagir e, portanto, sofrer. Por isso, é tão interessante descobrir a fonte dos nossos sofrimentos. Porque são chamadas as feridas da alma? Porque a alma já não suporta ser constantemente afastada do seu plano de vida, quando deixamos o nosso ego dirigir a nossa vida. Ela sofre na medida em que o objetivo das suas encarnações é viver no amor verdadeiro e na aceitação de si, a fim de conseguir viver a sua condição divina.»

Sobre o autor:
Lise Bourbeau sempre se intrigou com o facto de tão poucas pessoas conseguirem atingir os seus objetivos e ser felizes. Procurando aprofundar esta questão, licenciou-se em Filosofia na University of Philosophy na Califórnia. Entusiasmada pela sua progressiva tomada de consciência e desejando ajudar os outros, renunciou à sua carreira na área de vendas e, em 1982, fundou um atelier destinado a promover o autoconhecimento através da análise da alimentação, das doenças e do mal-estar. Especializou-se em decifrar a metafísica da doença, desenvolvendo métodos para aumentar a autoestima. Após alguns anos fundou o seu primeiro centro de desenvolvimento pessoal, o Centro Escuta o Teu Corpo, um estabelecimento de ensino que oferece diversos cursos especializados, incluindo a formação de animadores e terapeutas. Em 1987 escreveu o seu primeiro livro – Escuta o Teu Corpo –, que se tornou o mais vendido no Quebeque. Desde então tem continuado a escrever e todos os seus livros têm tido um sucesso semelhante em todo o mundo. Lise Bourbeau realiza conferências e ministra seminários por todo o mundo. É uma mulher de ação, inovadora e com um grande coração, um verdadeiro exemplo de vitalidade.
www.lisebourbeau.com

7 de agosto de 2016

Marcador | Vertigem Assassina – Nelson DeMille


Sinopse

Depois de um embate com um famigerado terrorista conhecido como O Leopardo, Jonh Corey saiu da Unidade Antiterrorista e regressou a casa, na cidade de Nova Iorque. Arranjou emprego no Grupo de Vigilância Diplomática (DSG). Embora se pense que a nova tarefa de Corey no DSG – vigiar diplomatas russos que trabalham na missão da ONU – é um “trabalho calmo”, ele não se importou nada de se livrar das garras do FBI, libertando-se da burocracia da vida de escritório.
Corey, apercebe-se, contudo de algo que o Governo dos Estados Unidos deixou escapar: a ameaça bem real de uma Rússia está a ressurgir.
Quando Vasily Petrov, coronel dos serviços de informações externas russos que finge ser diplomata, desaparece de uma festa em casa de um oligarca Russo, em Southampton, é Corey quem tem de o encontrar. O que andarão os Russos a tramar e porquê? Haverá a possibilidade de uma ameaça nuclear? Será que Corey irá, por fim, ser ultrapassado e ludibriado, ficando a América sujeita a um ataque mais nefasto do que tudo aquilo por que já passou?

Sobre o autor

Nelson DeMille nasceu na cidade de Nova Iorque em 1943. Em 1978 publicou o seu primeiro grande romance By the Rivers of Babylon, que foi um sucesso comercial junto da crítica. Desde então escreveu mais catorze romances e passou bons bocados a criar as suas personagens de Jonh Corey. Construiu uma carreira literária marcada por enormes sucessos mundiais. Todos os seus livros chegaram ao primeiro lugar do The New York Times e da Publishers Weekly, tendo totalizado em conjunto, 380 semanas na lista dos mais vendidos. É um dos três escritores que mais vendem em todo o Mundo, com mais de 100 milhões de livros vendidos.

Marcador | Destinos em Falta para o Passageiro Distraído – Luís Filipe Borges


Quando Luís Filipe Borges de mudou da ilha Terceira para Lisboa, aos 18 anos, “sentindo-se cidadão de nenhures”, viu uma frase escrita nas paredes de azulejo do Metro que lhe tem servido de inspiração: “Não sou ateniense nem grego, mas sim um cidadão do mundo”. Nas duas décadas seguintes, como escritor, cronista, comediante ou apenas turista, viajou pelo planeta sempre que pôde – não engrossando fileiras do turismo de massas nem como viajante profissional, mas permanentemente com um olhar atento e uma grande disponibilidade para conhecer o outro, encontrar histórias e perceber o que se passa ao seu redor.

“A vida é demasiado breve para beber mau vinho e o nosso
Bairro demasiado modesto para caber lá o mundo”
LUIS FILIPE BORGES

Este livro é feito de relatos de viagens, cheio com dicas pertinentes e observações hilariantes para os aventureiros que se jogam no mundo – sejam eles estratagemas para quem tem medo de andar de avião ou truques para fazer a mala.

De Nova Iorque – onde bebeu uns copos com os actores de Sopranos – às aventuras nocturnas em Cuba, dos festivais de comédia em Itália ao Brasil descoberto através da música, sem nunca esquecer o regresso aos Açores da sua infância e o olhar apaixonado, mas jamais acrítico sobre Portugal e os Portugueses. Luís Filipe Borges não se limita a contar o que vê: mergulha de cabeça onde quer que vá.

COMIC CON PORTUGAL ANUNCIA NOVO ATOR PARA O PAINEL HARRY POTTER



David Bradley (Argus Filch nos filmes) junta-se a Jason Isaacs (Lucius Malfoy) no painel da saga. Confirmação chega com o lançamento do novo livro da saga.
A Comic Con Portugal assinala o lançamento do novo livro de Harry Potter com a confirmação do ator David Bradley, que se junta assim a Jason Isaacs no painel da saga no evento, em dezembro.
Em Harry Potter, Bradley interpreta Argus Filch, o temperamental encarregado de Hogwarts que nunca se separa da sua gata, Mrs. Norris. Para além disto, Bradley é reconhecido pelo seu papel como Walder Frey na série Game of Thrones, e ainda como Abraham Setrakian na série The Strain.
A Comic Con Portugal estará também presente no evento de lançamento do livro “Harry Potter & The Cursed Child. Parts I & II”, que se realiza esta noite na Livraria Lello, no Porto. O evento preparado pela livraria promete muita animação para receber os milhares de potterheads de todas as idades.
Na noite de 30 para 31 de julho, a partir das 22h00, atores profissionais da companhia de teatro ACARO vão interpretar algumas das conhecidas personagens da saga e testar os conhecimentos dos fãs em matéria de feitiços. A Livraria Lello vai também oferecer poções mágicas, sob a forma de bebidas especiais, a todos os que vierem participar naquela que promete ser uma das maiores concentrações de leitores de Harry Potter da Península Ibérica. Uma coruja real, a fazer lembrar Hedwig, vai juntar-se à festa. Em exposição estará uma "Firebolt", réplica da primeira vassoura de Harry Potter, e no exterior haverá uma recriação da Platform 9 ¾.
Numa parceria que visa proporcionar aos fãs alguns conteúdos exclusivos, a Livraria Lello vai ter 3 Pack VIP da Comic Con Portugal para oferta. Os Packs conferem diversos benefícios, tais como prioridade na entrada no recinto do evento ou lugares reservados no Auditório de Cinema & TV (até 5 minutos antes do início de cada painel), para além de t-shirt oficial Comic Con Portugal e brindes de alguns parceiros.
Os Pack VIP Fnac da Comic Con Portugal já estão à venda, em loja ou online, e são de edição limitada.