16 de setembro de 2014

Opinião - Quando Tu Eras Meu

Título: Quando Tu Eras Meu
Autor: Rebecca Serle
Editora: Planeta

Sinopse:
E se a maior história de amor de todos os tempos estivesse enganada? Todos pensam que Romeu e Julieta foram impotentes face ao seu destino, que ficaram à mercê do amor que nutriam um pelo outro. Não é verdade. Julieta não era nenhuma rapariga doce e dilacerada pelo destino. Ela sabia exactamente o que fazia. O problema é que Shakespeare não. Romeu não pertencia a Julieta; pertencia-me a mim. Devíamos ficar juntos para sempre e teria sido assim se alguém não mo roubasse. Talvez isso pudesse ser evitado. E então talvez ainda estivesse vivo.

Opinião por Inês Santos:
Como é que é possível alguém não achar piada a este livro? Não digo que seja uma obra prima, mas quem gostou de Karma vai de certeza gostar de Quando Tu Eras Meu.
Esta não é uma versão Shakespeariana apenas com fim diferente. É exactamente o oposto: o fim é igual, mas o resto é que não.
Logo no início encontrei expressões que costumo usar, como por exemplo, "por amor da santa", o que aumenta logo a empatia com a personagem principal. Outro aspecto que me agradou é aquele trio de amizades, um pouco desbocadas, deva-se dizer, e demasiado perfeitas e populares, mas tudo muito semelhante ao Karma. Semelhante a este último é a parte da "traição" que como me aconteceu da outra vez, desta também e apertou o coração e me deu vontade de esganar Rob. Sinceramente, não estava à espera dos acontecimentos trágicos, mas o envolvimento de Len não foi novidade, o que acabou por contrabalançar o mau com o bom.
Outro ponto menos positivo são as descrições de acontecimentos. Rosalinda adora descrever todos os passos que dá ou que deu, o que acaba por ser "carne para encher chouriços", mas como se salta facilmente podemo-nos focar no que mais interessa: diálogos ou acontecimentos mais relevantes. a narração também não é bem para o meu gosto, como expressões como "blá blá blá - perguntou a Olivia, blá blá blá - respondeu a Charlie", esta sequência de perguntou/respondeu/perguntou outra vez/respondeu outra vez soou-me a algo um pouco verde e inexperiente, mas o uso de artigos definidos antes do nomes, algo que só li quando andava na primeira, acaba por parecer mais culpa da tradução do que do original. Mas no final, fiquei com um gostinho muito doce por ter encontrado tanto romance e momentos queridos e de derreter corações mais gelados.

1 comentário:

ℒ ღ disse...

Ando mesmo muito curiosa com este livro, vamos lá ver se não me desilude :)