17 de abril de 2014

Opinião - Os Homens que Odeiam as Mulheres

Título: Os Homens que Odeiam as Mulheres
Editora: Oceanos /BIS

Sinopse:
O jornalista de economia MIKAEL BLOMKVIST precisa de uma pausa. Acabou de ser julgado por difamação ao financeiro HANS-ERIK WENNERSTÖM e condenado a três meses de prisão. Decide afastar-se temporariamente das suas funções na revista Millennium. Na mesma altura, é encarregado de uma missão invulgar. HENRIK VANGER, em tempos um dos mais importantes industriais da Suécia, quer que Mikael Blomkvist escreva a história da família Vanger. Mas é óbvio que a história da família é apenas uma capa para a verdadeira missão de Blomkvist: descobrir o que aconteceu à sobrinha-neta de Vanger, que desapareceu sem deixar rasto há quase quarenta anos. Algo que Henrik Vanger nunca pôde esquecer. Blomkvist aceita a missão com relutância e recorre à ajuda da jovem LISBETH SALANDER. Uma rapariga complicada, com tatuagens e piercings, mas também uma hacker de excepção. Juntos, Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander mergulham no passado profundo da família Vanger e encontram uma história mais sombria e sangrenta do que jamais poderiam imaginar.

Opinião por Telma Marques:
É um daqueles livros "da moda" mas li-o antes de ser "da moda" quando um inglês que trabalhava comigo mo recomendou - o capítulo primeiro da saga Millenium. Desconfio sempre quando me dizem que os livros são fantásticos e mais ainda quando me dizem que saõ viciantes. Suponho que é uma questão de expetativas: e quando mas colocam no alto, tenho a certeza da queda. 
Quem olha para o título apenas ainda se pode deixar enganar pensando que é um guia de auto-ajuda. Quem olhar para o livro em si e vir a espessura pode achar que é demais para um livro que não se tem a certeza de gostar. Quem olhar para o nome do autor - Stieg Larsson, sem saber a história dele, pode ver isso como mais um ponto negativo. Mas depois entra-se no primeiro capítulo. E no outro a seguir. E no próximo. E esqueces-te que era suposto gostares do livro porque te disseram que isso ia acontecer e passas a gostar do livro porque a trama é de tal forma envolvente que não o consegues largar. 
Caí nesta: gosto de um livro da moda. 
É mais do que um policial sueco, mais do que um mistério familiar intrigante ao melhor género de um Sherlock-jornalista-escritor, é mais do que uma história de violência e uma denúncia da sociedade e da sua podridão, mais do que uma prova do poder dos grandes impérios financeiros e de interesses políticos, governamentais, e...pessoais. 
É uma trama de personagens complexas e únicas, uma mistura de realidade e ficção. 
É - raios me partam, odeio dar razão às pessoas - tudo aquilo que o inglês me tinha prometido. De maneira que só descansei depois de ler os dois livros seguintes da saga Millenium. É mais do que um caso de polícia, um caso de sucesso.

Sem comentários: