30 de abril de 2015

Opinião - A Filha da Minha Melhor Amiga - Dorothy Koomson


Título: A Filha da Minha Melhor Amiga
Autora: Dorothy Koomson
Editora: Porto Editora

Sinopse:
Anos depois desse incidente, Kamryn é uma mulher com uma carreira de sucesso, que vive sem ligaçoes pessoais complexas, protegendo-se de todas as desilusoes. Mas eis que, no dia do seu aniversário, Adele a contacta... A amiga de Kamryn está a morrer e implora-lhe que adopte a sua filha, Tegan, fruto da sua ilícita relaçao de uma noite com Nate. Terá ela outra escolha? Será o perdão possível? O que estará Kamryn disposta a fazer pela amiga que lhe partiu o coração? Uma viagem dolorosa e comovente de auto-conhecimento, uma leitura de cortar a respiração. Mais de 330 000 exemplares vendidos. Best-seller no Reino Unido.

Opinião por Patrícia Cruz:
Bem, começo por dizer que demorei um pouquinho a ler este livro, não só pelas suas 448 páginas, mas também por causa do início do colégio, lia quando podia e tinha tempo.
Em relação à história.. Achei que a história é simplesmente LINDA, e que eu fiquei viciada nestas personagens.. Kamryn é muito igual a mim na sua maneira de pensar, enfim, de tudo, e isso ainda me prendeu mais à história.
Podendo dizer que este foi o único livro que me fez chorar, pode-se ver que a história é comovente, tocante. Derramei uma lágrima lá mais para o final, mas outras partes também me comoveram. Este livro é um misto de emoções. Confesso que sorri mesmo muito a ler o livro, pelo que lá no colégio devem ter achado que era uma maluca qualquer. Mas não me importo.
Uma das partes que mais me tocou, foi ser descrito que a Kamryn sofria de bullying na escola. É horrível passar por isso. Sei-o por experiência própria. O que me deixou mais triste é que viu-se nas palavras da autora que já tinha passado mesmo, pessoalmente, por aquilo. Ninguém merece, de todo. O que interessa, é que este foi um dos melhores livros, sem dúvida, que li até hoje.
Foi a minha estreia com a autora, mas já vi que sou quase obrigada a comprar mais, pois já me foram aconselhados e eu própria assim o quero. Dou os meus sinceros parabéns a Dorothy Koomson, comoveu-me mesmo.

Opinião - Desculpa, Mas Vou Chamar-te Amor - Frederico Moccia


Título: Desculpa, Mas Vou Chamar-te Amor
Autor: Frederico Moccia
Editora: Contraponto

Sinopse:
Niki é uma rapariga linda, extrovertida, inteligente e simpática. Tem 17 anos, e tanto ela como as suas amigas estão no último ano do secundário. O seu dia-a-dia é pautado por desfiles, festas e "raves", entre outras diversões. Alex é um «rapaz» com quase 37 e acabou há pouco tempo uma relação de longa data. Tem três grandes amigos, Enrico, Flávio e Pietro, que são casados. Alex ocupa um cargo importante na área da publicidade, mas um jovem oportunista contratado recentemente pela sua empresa põe em risco o seu emprego. Certa manhã, Niki e Alex têm um encontro, ou melhor, um desencontro - um desencontro que vai mudar tudo. Esta linda história de amor reflecte a vontade de reencontrar a liberdade e o desejo de nutrir sentimentos verdadeiros, de amar sem regras nem porquês. Retrata o quotidiano, mas também o sonho, a fuga mais bela, mais louca, mais inesperada: uma fuga de amor. E, depois, aquele farol... Enfim, é um mergulho onde o mar é mais azul!

Opinião por Paula Ferreira:
Este é o terceiro livro que leio do autor e foi o que mais gostei até ao momento. Estava com algum receio, pois os livros anteriores que fazem parte da série Três Metros Acima do Céu, não me preencheram as medidas. Desculpa, mas vou chamar-te amor, prendeu a minha atenção desde a primeira frase. Por já ter lido dois livros de Federico Moccia, estou habituada à sua escrita, que acho ser um quanto excessiva, ou seja, passa-se tudo muito rápido, sempre a correr. Foi um livro emocionante, não descansei até o ter terminado e quando não o podia ler, pensava na história e qual seria o seu desfecho.
Apesar de o livro se centrar em Nikki e Alex, ao longo da história vão aparecendo outras personagens que enriquecem a narrativa. Algumas mais cativantes que outras, mas acabamos por dar quase a mesma importância, pois elas estão todas ligadas. Gostei também do facto do autor ter escrito a história das personagens por capítulos, isto é, um capítulo centrava-se em Nikki, depois o seguinte em Alex, o seguinte numa outra personagem, gosto muito quando os autores escrevem desta maneira.
Ao longo do livro podemos contar com frases de famosos, músicos, filósofos, e estas enquadram-se perfeitamente na situação que está a acontecer, para além de nos fazerem refletir. Como podemos ler na sinopse, as personagens principais têm uma diferença de idades de 20 anos e quando li este pequeno grande pormenor, pensava que a história se fosse desenrolar de outra maneira, pois por vezes parecia nem ser nenhum problema e uma vez que Nikki nem maior de idade é, o autor contou a história demasiado perfeita e divertida para a situação. Falando de Nikki e Alex, gostei de Alex, é um autêntico galante e divertido. Também gostei de Nikki, mas achei-a perfeita demais, e claro que podemos contar com alguns momentos mais infantis, mas por lado também a achei um tanto ou quanto madura.
A história em si é bastante encantadora, achei o início e a maneira de eles se conhecerem e começarem a falar bastante forçada. Já do final, gostei bastante, mas também bastante previsível. Mas estes livros servem mesmo para isto, para nos fazerem sonhar. Estou ansiosa por pegar na continuação, Desculpa, mas quero casar contigo.
NOTA: Adorei o facto de ao autor fazer referência ao livro Três Metros Acima do Céu ao longo da história. Depois de ler o livro tentei ver o filme e vi os primeiros 10 minutos. Não sei se é por ser em italiano (confesso que só vejo filmes em inglês) ou as personagens que parecem saídas não sei muito bem de onde… O filme para mim é para esquecer.

Opinião - À Luz da Meia-Noite - Sherrilyn Kenyon


Título: À Luz da Meia-Noite
Autora: Sherrilyn Kenyon
Editora: Chá das Cinco

Sinopse:
Uma celebridade generosa que tudo oferecia e nada pedia em troca… até ser enganado pelos que o rodeavam. Agora Aidan nada quer do mundo ou sequer fazer parte dele.
Quando uma estranha mulher aparece à sua porta, Aidan sabe que já a viu antes… nos seus sonhos.
Uma deusa nascida no Olimpo, Leta nada sabe do mundo dos humanos. Mas um inimigo implacável expulsou-a do mundo dos sonhos e para os braços do único homem capaz de a ajudar: Aidan. Os poderes imortais da deusa derivam de emoções humanas, e a raiva de Aidan é todo o combustível que precisa para se defender…
Uma fria noite de inverno irá mudar as suas vidas para sempre…
Aprisionados durante uma tempestade de inverno brutal, Aidan e Leta terão que conquistar a única coisa que os poderá salvar a ambos - ou destruí-los - a confiança. Conseguirão triunfar sobre todos os obstáculos?

Opinião por Sónia Melo:
Da última vez que li um livro desta autora prometi a mim mesma que não iria pegar noutro tão cedo dada a sua grande carga dramática, mas a verdade é que acabei por não resistir, como desculpa vou apontar o facto de ser tratar dum livro bastante pequeno, pelo menos do meu ponto de vista e de estar mesmo curiosa com a sua sinopse.
Os protagonistas que a Sherrilyn nos apresenta com este livro são diferentes do habitual, digo isto porque estão um bocado afastados do mundo dos predadores da noite e do homem. Aidan é um humano típico, pelo menos nalguns pontos. Nem todos somos super estrelas de Hollywood, com pouco mais de trinta anos, vários óscares numa prateleira (não me lembro de quantos de momento) e milhões de fãs em todo o mundo é certo, mas todos temos sonhos, medos, dúvidas e esperanças. A Leta é uma deusa grega dos sonhos com um passado trágico e um coração de ouro, todavia, é uma rapariga simples, muitos simples para uma deusa. Ela vai, literalmente, virar a vida de Aidan de cabeça para baixo mas era exactamente isso que ele precisava.
Diverti-me imenso com a leitura deste livro, os diálogos entre Leta e Aidan eram tão cómicos, que dei por mim a rir sozinha várias vezes. À medida que o tom do livro foi se tornando mais sério, os diálogos foram também eles ficando mais sombrios mas não deixaram de ter a magia própria que a autora tão bem sabe lhes imprimir.
O que acaba por juntar Aidan e Leta é um inimigo comum, Dolor, deus grego da dor, responsável pela morte da família da Leta, alguém contra quem ela lutou ferozmente no passado. Aprisionado à milénios num feitiço lançado por Leta, Dolor é libertado por uma pessoa intimamente ligada ao passado de Aidan. Uma pessoas que o odeia com tanta força que é capaz de fazer um pacto com um monstro para o matar, essa pessoa é o próprio irmão mais velho de Aidan. Está assim lançado o mote para mais uma grande história de amor à moda da grande Sherrilyn Kenyon, onde o perdão, a compreensão e a confiança têm de ser batalhadas com todas as forças para assim ser alcançada a verdadeira felicidade.
Mais um livro fantástico que não poderia deixar de recomendar.

Passatempo Cinema - Perseguição escaldante

A D'Magia em parceria com a NOS Audiovisuais tem para oferecer 10 convites duplos para a antestreia do filme "Perseguição escaldante", dia 6 de Maio, às 21.30h: 

Lisboa – Cinema NOS Colombo – 5 convites duplos
Porto – Cinema NOS Parque Nascente – 5 convites duplos

Sinopse:
Da Metro-Goldwyn-Mayer Pictures e da New Line Cinema chega-nos a comédia “Perseguição Escaldante,” com a vencedora de um Óscar® Reese Witherspoon (“Walk the Line,” “Livre”) e Sofia Vergara (“O Chef,” “Uma Família Muito Moderna”), realizados por Anne Fletcher (“A Proposta”).
Em “Perseguição Escaldante,” uma polícia rígida e cumpridora das regras (Witherspoon) tenta proteger a viúva de um traficante de droga (Vergara), uma mulher sensual e extrovertida, enquanto atravessam o Texas sendo perseguidas por polícias corruptos e perigosos assassinos.

Poderá assistir ao trailer aqui:
https://youtu.be/s8ugkUZg2kA  

Para te habilitares a ser um dos vencedores só tens de responder às seguintes perguntas: 
- Qual a vencedora de um Óscar® que entra neste filme?
- Quem interpreta a viúva do traficante de droga?

Regras do passatempo: 
1) Enviar a resposta para literatura@dmagia.net indicando: Nome Completo e Número de BI ou CC.
2) O assunto do email deverá ter a menção: Perseguição + Localidade Pretendida (Lisboa/Porto)
3) Só é válida uma participação por pessoa/e-mail.
4) O passatempo é válido até às 23:59 de dia 2 de Maio.
5) Os vencedores serão apurados através de um sorteio via random.
6) Os nomes dos vencedores serão colocados online e avisados através de email.


Passatempo Cinema - Nos Jardins do Rei

A D'Magia em parceria com a Pris Audiovisuais tem para oferecer 30 convites duplos para a antestreia do filme "Nos Jardins do Rei", dia 6 de Maio, às 21.30h: 

Lisboa – Cinema UCI El Corte Ingles – 10 convites duplos
Porto – Cinema NOS Norte Shopping – 20 convites duplos

Sinopse:
Reunidos pela primeira vez desde Sensibilidade e Bom Senso, Alan Rickman dirige a actriz premiada pela Academia, Kate Winslet, no drama romântico A Little Chaos.
O ano é 1682. Sabine De Barra (Kate Winslet), uma decidida e talentosa arquitecta paisagista, realiza a sua vocação nos jardins da província de França. Um dia, chega-lhe um convite inesperado: Sabine está na lista para um contrato com a corte do Rei Louis XIV (Alan Rickman). Quando a conhece, o reputado artista paisagista do Rei, André Le Notre (Matthias Schoenaerts) fica inicialmente perturbado com o olhar distinto de Sabine e com a sua natureza progressista, mas acaba por a escolher para desenhar um dos principais jardins do novo palácio do Rei Sol, em Versalhes. Sob a pressão do tempo e com um ritmo e estilo muito próprios, Le Notre reconhece aos poucos o valor de “um pequeno caos” no processo criativo de Sabine.
Ao mesmo tempo que ela e os seus empregados lutam para acabar a tempo o jardim de Rockwork Grove, concebido como um salão de baile ao ar livre, Sabine enfrenta as perigosas rivalidades e a complicada etiqueta da corte. Ao desafiar as barreiras de género e de classe, Sabine forja uma surpreendente ligação com o próprio Rei, e ganha um voto de confiança do irmão deste, Philippe (o ator nomeado pela Academia, Stanley Tucci). À medida que vai gradualmente resolvendo uma tragédia do seu passado, a relação pessoal e professional de Sabine com André trás ao de cima a honestidade, a compaixão e a criatividade que ambos partilham.


Para te habilitares a ser um dos vencedores só tens de responder às seguintes perguntas: 
- Como se chama a actriz premiada pela Academia que entra neste filme?
- Sabine De Barra luta para acabar a tempo o quê?

Regras do passatempo: 
1) Enviar a resposta para literatura@dmagia.net indicando: Nome Completo e Número de BI ou CC.
2) O assunto do email deverá ter a menção: Jardins do Rei + Localidade Pretendida (Lisboa/Porto)
3) Só é válida uma participação por pessoa/e-mail.
4) O passatempo é válido até às 23:59 de dia 2 de Maio.
5) Os vencedores serão apurados através de um sorteio via random.
6) Os nomes dos vencedores serão colocados online e avisados através de email.


29 de abril de 2015

Opinião - Dei-te o Melhor de Mim - Nicholas Sparks


Título: Dei-te o Melhor de Mim
Autora: Nichola Sparks
Editora: Editorial Presença

Sinopse:
Este novo e aclamado romance de Nicholas Sparks conta a história emocionante de Amanda e Dawson, dois adolescentes envolvidos na mágica experiência do primeiro amor. Contudo, sob a pressão familiar e social, são obrigados a seguir vidas distintas. Somente vinte e cinco anos mais tarde voltam a encontrar-se, por altura da morte do único homem que tinha protegido o jovem casal apaixonado. E se para ambos o amor de outrora se revela intacto, confrontam-se inevitavelmente com as escolhas feitas e os compromissos assumidos. Qual então o sentido daquele encontro, se nada podia mudar o passado?

Opinião por Fátima Cunha:
Este livro conta-nos a história do Dawson e da Amanda. Conheceram-se nos bancos da escola e apaixonaram-se. Devido à família de Amanda que nunca aceitou as suas diferenças, separam-se, mas o amor que os une nunca terminou.
Após vinte e cinco anos, voltam a encontrar-se aquando da morte de um amigo. O encontro entre Dawson (que viveu sozinho durante todos esses anos) e Amanda (casada e com filhos, mas infeliz) mostra que nunca é tarde para recuperar um grande amor.
História 5 estrelas (só sosseguei quando acabei com muitas lágrimas à mistura)
Personagens lindas, bem construídas, cativantes.
Escrita como habitualmente maravilhosa, directa e envolvente. O único senão, o final, porque será que este autor gosta de finais tão tristes?

Passatempo - A guerra eterna

A D'Magia em parceria com a Asa tem para oferecer um exemplar de "A guerra eterna" de Joe Haldeman.

Sinopse:
Em 1997 a Terra entra pela primeira vez em contacto com os extraterrestres tauranos. Este encontro marca o início de uma guerra impiedosa. As autoridades terrestres decidem enviar um contingente de elite, e preparam um programa de treino quase inumano, destinado a produzir soldados capazes de aguentar tudo.
William Mandella é um desses soldados.
A fim de viajar até à frente de batalha, os soldados têm de atravessar portais chamados collapsars, que causam uma distorção espáciotemporal, fazendo com que o tempo subjetivo da nave seja mais lento que o tempo «real» do universo. Ou seja, quando Mandella regressa a casa após dois anos, quase três décadas passaram na Terra. E conforme viajam para mais longe, maior é a dilatação, passando de décadas para séculos inteiros.
A luta mais cruel que estes soldados terão de travar será a sua batalha pessoal contra o tempo.

Para te habilitares a ser o vencedor responde às seguintes perguntas:
1 - Em que ano se passa esta narrativa?
2 - Como se chamam os portais?

E envia os teus dados pessoais (incluíndo o nome completo, morada e nome de seguidor no Facebook), com o assunto "A guerra eterna", até ao dia 17 de Maio, para literatura@dmagia.net
 
Regras do passatempo: 
1) Só aceitamos participações de residentes em Portugal. 
2) Podem participar todos os dias. No máximo de uma vez por dia. 
3) Só serão aceites participações de fãs e/ou seguidores. 
4) É obrigatório dar like no Facebook na Página D'Magia 
5) Ser fã do facebook e seguidor do blog dá direito a duas participações no passatempo.  Não te esqueças de referir o teu nome de seguidor no email juntamente com os teus dados
6) Poderás partilhar este passatempo numa rede social e via twitter uma vez por dia. Cada nova partilha conta como uma participação extra. Basta nos ires enviando os links.
7) O prémio é sorteado via random.org entre todos os participantes validados.   
8) Os vencedores serão contactados por email.
9) Não nos responsabilizamos por qualquer extravio no envio do prémio. 

Boa sorte a todos!!!

Opinião - As Instruções da Pitonisa - Erik Axl Sund


Título: As instruções da Pitonisa
Autor: Erik Axl Sund
Editora: Bertrand

Sinopse:
Um carro é devorado pelas chamas em Tantoberget. No interior, estão os corpos carbonizados de duas mulheres, as principais suspeitas dos assassínios em série das antigas alunas do internato de Sigtuna que Victoria Bergman frequentou. Na posse de uma delas, a polícia encontrou várias polaroides dos assassinados rodeados por túlipas amarelas. A detetive Jeanette Kihlberg compreende que, sob a aparência de suicídio a loucura mortífera prossegue o seu caminho. Sofia Zetterlund mantém as sessões de autoterapia para tentar, finalmente, compreender quem realmente é. Victoria Bergman recusa-se a ser dominada e ameaça continuar. Entretanto Madeleine, pensa na sua próxima vítima. É tempo de pagar.

Opinião por Filipa Monteiro:
Muitas vezes, em séries e em trilogias, quando há mais que um livro para contar a mesma história, muitas vezes acontece, essa série perder a qualidade ou não gostarmos tanto como do primeiro.
Já me aconteceu dar 5 estrelas a um segundo livro porque realmente o adorei, mas, não serão as mesmas 5 estrelas que dei ao primeiro volume que, gostei menos mas mesmo assim são 5 estrelas. Ou... vice-versa.
"As instruções da Pitonisa" é o terceiro e último volume de uma trilogia e, para mim, esta trilogia NÃO perdeu de maneira nenhuma qualidade.
Se adorei o primeiro, adorei o segundo e adorei o terceiro.
Depois de ler este terceiro, fui ver o que leitores do goodreads tinham comentado deste último volume pois há acontecimentos que ficam por desenvolver, pessoalmente, esses mesmos desenvolvimentos, a mim, não me fizeram falta, mas compreendo a quem o faça.
Fui ler as opiniões e descobri isso mesmo, pessoas que desceram classificações por faltar o tal desenvolvimento e então, fiquei eu própria a pensar se deveria descer... mas, cheguei à conclusão em 2 minutos que a mim, esses mesmos acontecimentos não me fizeram falta e que, se fosse parte da dupla de autores Erik Axl Sund, teria feito o mesmo.
(Seria tão maravilhoso fazer parte da dupla e passar a uma tripla! Seria quase uma face de Victoria Bergman! -- e só por aqui percebem o quanto delirei com estes livros. Delirei. A palavra certa.)
Concluindo todo este meu devaneio, só posso dizer que cada livro é melhor que o outro.
Já falei da escrita nos volumes anteriores.
Já falei um pouco da história nos anteriores, vou apenas dizer que mais do que nunca, a frase: "nem tudo o que parece é", é mais do que própria para aqui.
Digo também apenas que, acontecimentos passados na nossa infância/adolescência têm um peso enorme na nossa formação enquanto adultos.
Digo, também, o quanto uma pessoa fragilizada se pode tornar numa pessoa poderosa e o quanto uma pessoa fraca se pode tornar numa forte.
E, digo ainda, se nos isolarmos, se ficarmos sós, se não tivermos ninguém de quem gostamos, pudemos tornar-nos amargos e muito perigosos.
Nós, o ser humano; e que, quando somos tão maltratados, a nossa única defesa é refugiar-nos em nós próprios, vivendo no nosso mundo e fazendo a vida... "aqui". (esta última frase será apenas para quem leu este livro).
Somos o que queremos. Somos o que fazem de nós. Somos as escolhas e as acções que fazemos/praticamos.
"O mundo é um lugar esplêndido que merece que se lute por ele" - frase dita por Hurtig, colega de Jeanette Kihlberg, na página 334 deste livro, retirada do romance de Hemingway: "Por quem os sinos dobram".

28 de abril de 2015

Opinião - Frágil - Jodi Picoult


Título: Frágil
Autora: Jodi Picoult
Editora: Civilização Editora

Sinopse:
Willow, a linda, muito desejada e adorada filha de Charlotte O’Keefe, nasceu com osteogénese imperfeita - uma forma grave de fragilidade óssea. Se escorregar e cair pode partir as duas pernas, e passar seis meses enfiada num colete de gesso. Depois de vários anos a tratar de Willow, a família enfrenta graves problemas financeiros. É então que é sugerida a Charlotte uma solução. Ela pode processar a obstetra por negligência - por não ter diagnosticado a doença de Willow numa fase inicial da gravidez, quando ainda fosse possível abortar. A indemnização poderia assegurar o futuro de Willow. Mas isso implica que Charlotte tem de processar a sua melhor amiga. E declarar perante o tribunal que preferia que Willow não tivesse nascido...

Opinião por Sofia Carmo:
É um livro que nos prende do princípio ao fim, pois depressa nos agarramos àquela família que apesar lutar todos os dias, é feliz. É um livro que não tem um final comum mas nem por isso se torna menos valioso. Mostra com pormenores o que é lutar por um filho, ainda que à custa de outro, mas mostra acima de tudo o humano comum com defeitos e virtudes. Facilmente nos identificamos com aquela família porque são em tudo como qualquer pessoa. Um livro que me mostrou garra, tristeza, alegria, raiva, piedade, entre muitos outros sentimentos.
Um livro recomendável e uma escritora impressionante.

Opinião - Eleanor & Park - Rainbow Rowell


Título: Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Chá das Cinco

Sinopse:
Dois inadaptados. Um amor extraordinário.
Eleanor... é uma miúda nova na escola, vinda de outra cidade. A sua vida familiar é um caos; sendo roliça e ruiva, e com a sua forma estranha de vestir, atrai a atenção de todos em seu redor, nem sempre pelos melhores motivos.
Park... é um rapaz meio coreano. Não é propriamente popular, mas vestido de negro e sempre isolado nos seus fones e livros, conseguiu tornar-se invisível. Tudo começa a mudar quando Park aceita que Eleanor se sente ao seu lado no autocarro da escola.
A princípio nem sequer se falam, mas pouco a pouco nasce uma genuína relação de amizade e cumplicidade que mudará as suas vidas. E contra o mundo, o amor aparece. Porque o amor é um superpoder.

Opinião:
A história de um primeiro amor. Se a premissa parece simples, é porque ainda não leu Eleanor & Park. Uma história de dois adolescentes nos anos 80, que contra todas as expectativas, se encontram um ao outro e criam um enorme laço amoroso. Porém nem tudo é um mar de rosas, e é ao percerbermos o contexto de cada um dos personagens, que este aspecto se torna evidente.
Eleanor é a rapariga nova da escola, encontra-se a morar na casa da mãe, e devido ao seu aspecto ela não passa de todo despercebida, com o seu cabelo ruivo ardente e o seu tamanho um pouco acima da média, testemunha em primeira pessoa quão más algumas crianças podem ser. Tentando esconder a sua vida em casa, ela é posta de parte por todos os que a rodeiam. Park, por outro lado, é um miudo coreano com uma vida familiar bastante agradável, porém é muito introvertido, muito pouco social, arranjando refúgio na música e na banda desenhada.
É então que um dia os dois se sentam juntos no autocarro da escola, a primeira reação é quase de repulsa, mas é com o passar do tempo que encontram gostos em comum, formando uma fortíssima amizade e consequentemente, um grande amor. A inocência com que estas fases são encaradas, é no minimo deliciosa, não só pela quimica entre as personagens, mas também pela pura nostalgia que as descrições feitas pela autora evocam. Quer seja pelos pequenos detalhes que advêm de viver num mundo sem internet e sem telemóveis, quer seja pela banda sonora criada pelos gostos musicais das duas personagens. Muito enternecedor e muito inocente.
Uma escrita muito genuína, consegue sentir-se a realidade de tudo, das personagens, das suas ações, reações, das situações, dos problemas, da história de amor, e sobretudo, da fantástica banda sonora que "acompanha" todo o livro. O meu cérebro não conseguia não por em play as faixas à medida que iam aparecendo, servindo verdadeiramente o propósito e criando aquele sentimento de nostalgia, trazendo à tona os tempos inocentes da adolescência.

26 de abril de 2015

Opinião - O Longo Inverno - Ruta Sepetys


Título: O Longo Inverno
Autora: Ruta Sepetys
Editora: Contraponto

Sinopse:
Em 1941, Lina, de quinze anos, prepara-se para ingressar na escola de artes e para tudo o que aquele verão lhe pode proporcionar. No entanto, uma noite, a polícia secreta soviética invade a sua casa, levando-a juntamente com a sua mãe e o irmão mais novo. São enviados para a Sibéria. O pai de Lina é separado da família e conduzido a um campo de concentração. Lina decide arriscar tudo e usa a sua arte como forma de enviar mensagens, na esperança de que estas cheguem ao campo prisional onde o seu pai se encontra e lhe transmitam que a sua família ainda está viva. É uma longa e comovente viagem. Apenas a força, o amor e a esperança fazem com que Lina e a família resistam a cada dia. Mas será isso suficiente para os manter vivos?

Opinião por Cátia Santos:
Devo começar por dizer que este livro foi para mim uma enorme surpresa, pela positiva. ‘O Longo Inverno’ era muitas vezes falado em diversos grupos literários no Facebook, e assim que o encontrei há uns meses na feira do livro, a um preço bastante convidativo, decidi arriscar na sua leitura. Ora claro está, aguardou meses na prateleira que eu o lesse, e só o fiz seguindo a sugestão que me foi dada de que seria uma óptima leitura.
E se o foi! A acção inicia-se na Lituânia, na década de 40 e apresenta-nos a família de Lina uma jovem artista lituana de 16 anos. A partir desse momento a acção desenrola-se rapidamente e em capítulos curtos que ajudam a prender o leitor ao livro. Ao longo da trama o livro vai trazendo ingredientes que vão cativando, recorrendo a flashbacks do passado da jovem Lina contrastando-os com os momentos dolorosos do seu presente.
Confesso que história é um tema que me fascina, mas muito sinceramente a situação dos lituanos na mão de Estaline era um tema que desconhecia por completo. Sendo a primeira vez que este tema me era apresentado numa leitura, vê-lo através do olhar adolescente de Lina fez-me sentir as variadas sensações que a personagem sentia, a raiva, o medo, a alegria e a esperança. Creio que a esperança é o tema chave nesta leitura. Lina e a sua família nunca quiseram deixar de acreditar que tudo iria acabar por bem e que o futuro os aguardava.
O único aspecto que não me permitiu atribuir 5* a este livro foi o desenrolar do final que na minha opinião acabou por tornar-se um pouco rápido de mais. Se há livros que pecam pelo excesso de páginas, ‘O Longo Inverno’ poderia contar com mais umas páginas que nos guiassem pelo futuro de Lina até à resolução do conflito.
Uma leitura rápida, dolorosa e fascinante ao mesmo tempo, que mostra a força que o ser humano pode encontrar dentro de si em momentos negros.

Alemanha Ensanguentada

Dois anos depois de terminar a Primeira Grande Guerra, Aquilino revisitou a Alemanha (país em que vivera por uns meses em 1912, em Berlim e em Parchin, e em que casara, em 1913, com Grete Tiedemann, de Meclemburgo, que conhecera na Sorbonne). Dessa viagem deixou um diário, mais tarde publicado sob o título de Alemanha Ensanguentada (1935). Neste texto, são visíveis as contradições e as hesitações num país saído de uma guerra havia dois anos, com difícil aceitação do acordado em Versalhes, assim como se evidencia a capacidade de perscrutar o ser humano, que Aquilino detinha, num exercício de leitura de rostos, de gestos, de tempos.

«Alemanha Ensanguentada desfaz duas imagens habituais: a de um Aquilino Ribeiro estreitamente «regionalista» e a do «germanófilo» enquanto fascista. É evidente que os alemães têm suscitado em várias gerações um fascínio bélico ou imperial; mas a «germanofilia» de Aquilino não é dessa natureza. Trata-se tão-só do apego a uma nação onde viveu e se casou (com uma alemã), nação de inquestionável grandeza material, intelectual e anímica, não obstante alguns defeitos notórios. É conhecido o amor vital de Aquilino pelas terras portuguesas, mas estes «cadernos de viagens» alemães, escritos em 1920, são um modelo de cosmopolitismo, ou seja, de compreensão de uma outra cultura, de uma outra circunstância.»

Do prefácio de Pedro Mexia
Aquilino Ribeiro nasceu na Beira Alta, em 1885, e morreu em Lisboa em 1963. Deixou uma vasta obra em que cultivou todos os géneros literários, partilhando com Fernando Pessoa, nas palavras de Óscar Lopes, lugar cimeiro nas Letras Portuguesas. Sócio da Academia das Ciências, foi reintegrado após o 25 de Abril, a título póstumo, na Biblioteca Nacional, condecorado com a Ordem da Liberdade e homenageado aquando do seu centenário pelo Ministério da Cultura. Em Setembro de 2007, por votação unânime da Assembleia da República, o seu corpo foi depositado no Panteão Nacional.

Passatempo - Como estamos famintos

A D'Magia em parceria com a Quetzal tem para oferecer um exemplar de "Como estamos famintos" de Dave Eggers.

Sinopse:
Dave Eggers maneja a narrativa curta de forma tão magnífica - coadjuvado pela sua revista McSweeney’s e pelos seus muitos imitadores - que devolveu a este género o relevo e o estatuto que sempre teve no panorama literário norte-americano. Enquanto isso, e divulgando o trabalho de terceiros, Eggers tem mostrado ser um dos grandes mestres desta forma. Nesta imperdível seleção, Dave Eggers revela o seu talento numa imensa variedade de registos - histórias sombrias, divertidas, ousadas e infinitamente inventivas.

Para te habilitares a ser o vencedor responde às seguintes perguntas:
1 - Qual o nome da revista?
2 - Em que variedade de registos Dave Eggers mostra o seu talento?

E envia os teus dados pessoais (incluíndo o nome completo, morada e nome de seguidor no Facebook), com o assunto "Como estamos famintos", até ao dia 15 de Maio, para literatura@dmagia.net
 
Regras do passatempo: 
1) Só aceitamos participações de residentes em Portugal. 
2) Podem participar todos os dias. No máximo de uma vez por dia. 
3) Só serão aceites participações de fãs e/ou seguidores. 
4) É obrigatório dar like no Facebook na Página D'Magia 
5) Ser fã do facebook e seguidor do blog dá direito a duas participações no passatempo.  Não te esqueças de referir o teu nome de seguidor no email juntamente com os teus dados
6) Poderás partilhar este passatempo numa rede social e via twitter uma vez por dia. Cada nova partilha conta como uma participação extra. Basta nos ires enviando os links.
7) O prémio é sorteado via random.org entre todos os participantes validados.  
8) Os vencedores serão contactados por email.
9) Não nos responsabilizamos por qualquer extravio no envio do prémio. 

Boa sorte a todos!!!

25 de abril de 2015

Opinião - A Viela da Duquesa - Sveva Casati Modignani


Título: A Viela da Duquesa
Autora: Sveva Casati Modignani
Editora: Porto Editora

Sinopse:
Itália, início do século XX. Uma série de circunstâncias dramáticas aproxima duas jovens mulheres numa amizade improvável; uma é a condessa Josepha Paravicini, austríaca e recém-viúva do príncipe Enrico de Castiglia, a outra é Teresa Avigliano, uma jovem napolitana de origens humildes, recentemente órfã de mãe.
Entre a Áustria e Itália, o Norte e o Sul, ambas atravessam o século xx, sofrem duas guerras mundiais, vivem os dramas da ditadura fascista e os tempos difíceis da reconstrução, mas sobretudo ousam amar e inventar a esperança num período em que a hostilidade e o desespero dominam. Em "A Viela da Duquesa", Sveva Casati Modignani entrelaça elegantemente as histórias destas duas mulheres corajosas e das suas famílias, construindo assim um mosaico assombroso do século xx.

Opinião por Liliana Carvalho:
Este livro transporta-nos para o início do Século XX, mais concretamente desde o ano de 1910 até ao final do ano de 1999.
Acompanhamos a vida de várias famílias, que o destino faz com que se cruzem de alguma maneira e continuam envolvidas durante quase um século, de uma forma realista, envolvente e fascinante como só Sveva consegue fazer. Acompanhamos algumas personagens desde crianças até à velhice.
Acompanhamos as suas vidas no meio da miséria, fome, morte, os governos, as greves, a crueldade, os comunistas, os fascistas, os abusos de poder, mas também a amizade e o verdadeiro amor. Senti na minha pele a dor das traições e desilusões das suas vidas, ainda mais quando essa dor partia por parte das pessoas em que as personagens mais confiavam.
Um livro apaixonante que nos arranca sorrisos e tristeza em igual dose. Em poucas folhas a história consegue dar completamente a volta e reviravoltas, aconteceu várias vezes quando pensei que já estivesse para acabar o livro, pois já tinha acontecido tanta coisa que o desfecho devia de estar próximo, via a quantidade de folhas que ainda faltava e ficava muito surpreendida. Que mais podia ainda acontecer? E que feliz ficava por ainda poder estar mais tempo na companhia destas personagens inesquecíveis. Comecei realmente a ficar mesmo triste quando vi cada vez mais as folhas a escassearem e vi que desta vez estava mesmo chegar ao fim.
A Viela da Duquesa fez-me pensar mesmo muito na humanidade, nas pessoas, na vida, no passado, na minha própria história, na história dos que já partiram, nas vidas daqueles que tiveram de passar por tudo aquilo, as grandes guerras, a tensão, o desespero, a fome, as doenças, as pessoas terem de se separar daqueles que mais gostam sem saber se irão voltar a ver-se, pais, filhos, irmãos, tios, sobrinhos, avós, netos, amigos, fez-me pensar pensar nos conflitos que continuam hoje em dia, nas mentiras, na ganância, mas também na compaixão, na honestidade, na alegria, na vontade de lutar, de dar as graças, um monte de sentimentos que vivi em todas aquelas páginas. Senti-me mesmo muito feliz, daquela maneira que só os livros nos fazem e fiquei completamente agarrada à história, com este livro aprendi muito e fez-me muita companhia.
Uma descrição fantástica da vida dos ricos, dos pobres, de como as suas famílias acabam por se envolver e como nada está garantido. Os sonhos e desabafos de personagens fascinantes que me deixam muita saudade, agora que acabei o livro.
Sem dúvida um dos melhores livros de Sveva Casati Modignani, e quem aprecia romances históricos relativos à Primeira e Segunda Guerra Mundial e tudo o que dai se deu, vai gostar muito dos relatos dos acontecimentos e do dia a dia das pessoas que viveram nesse tempo.
Acompanhar como as personagens crescem, se desenvolvem, mudam, amadurecem, como antes pensavam e agora passam a olhar para a vida, como enfrentam os seus problemas, as suas decisões, cada uma com personalidades completamente diferentes, os seus sonhos, as suas desilusões.

I Ching

Pergunte ao I Ching, pense nas respostas, decida por si.
O I Ching é um sistema milenar de divinação. A sua origem é incerta, mas supõe-se que terá derivado de práticas de divinação da dinastia Shang, a segunda dinastia registada pela historiografia tradicional chinesa, e que os primeiros textos deste livro das mutações terão sido escritos por volta de 1000 a.C.

Pouco antes de morrer, o sábio Confúcio disse que se tivesse mais de 50 anos de vida os dedicaria ao estudo do I Ching. Nas suas diversas edições completas, este livro de sabedoria, filosofia de vida e reflexão pode chegar às 800 páginas.

Para a presente edição, Manuel Madeira de Santana, estudioso do I Ching que usa este método na sua vida quotidiana há várias décadas, oferece uma introdução clara, acessível e simples a esta forma de obter respostas para as dúvidas que mais nos inquietam.

O I Ching é, assim, uma abordagem introdutória a este sistema milenar, que apresenta as diversas tabelas de divinação e ensina como qualquer um as pode ler, interpretar e usar.

Com prefácio de Pedro Rolo Duarte.
“Na verdade, eu percebi nesse momento a essência do I Ching: um livro que às nossas perguntas responde com ideias, propostas de reflexão, sugestões vagas que nos ajudam a decidir.”

Amores de Família

De Carla Maia de Almeida (texto) e Marta Monteiro (ilustrações)
Livro Amores de Família chega às livrarias a 14 de abril

«Há pais que discutem por causa dos lugares de estacionamento e há outros para quem o mais importante é um lugar ao sol.»

As famílias deste livro retratam diversos perfis familiares da atualidade, em vários lugares do mundo. Das famílias tradicionais às recompostas, das monoparentais às adoptivas, sem excluir famílias com pais do mesmo sexo, todas são apresentadas ao leitor nos cenários do seu dia-a-dia, num olhar multicultural, entre o jornalístico e o literário. Cruzando também perfis psicológicos, as personagens inspiram-se na antiga mitologia greco-latina, porque nada mais heterogéneo nem mais arquetípico do que as relações familiares do Olimpo. Amores de Família é um livro para descobrir e partilhar... em família.

ISBN: 978-972-21-2732-5
32 páginas
PVP C/ IVA 10,90€

Carla Maia de Almeida
Jornalista de imprensa desde 1992, é licenciada e pós-graduada em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa, tendo uma Pós-Graduação em Livro Infantil Pela Universidade Católica Portuguesa. Desde 2005, publicou os seus quatro primeiros livros na Caminho: O Gato e a Rainha Só (ilustrações de Júlio Vanzeler); Não Quero Usar Óculos (ilustrações de André Letria), Ainda Falta Muito? (ilustrações de Alex Gozblau) e Onde Moram as Casas (ilustrações de Alexandre Esgaio). Seguiram-se A Lebre de Chumbo (ilustrações de Alex Gozblau), para a coleção da APCC – Associação para a Promoção Cultural da Criança e Irmão Lobo (ilustrações de António Jorge Gonçalves), uma novela para adolescentes e leitores mais crescidos, com edição da Planeta Tangerina. Este último foi incluído na selecção White Ravens 2014. Nasceu em Matosinhos, em 1969.

Marta Monteiro
Após ter concluído a licenciatura em Artes Plásticas, variante de Escultura, pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto foi docente e formadora durante vários anos. Desde 2012, dedica-se à ilustração a tempo inteiro, colaborando com publicações como a Nobrow Magazine,Washington Post, The New York Times e Visão, entre outras. Em 2013 publicou o seu primeiro livro, um álbum sem palavras intitulado Sombras(Pato Lógico), distinguido pela prestigiada revista 3x3. Seguiu-se Poemas da Horta e Outras Verduras, com texto de Manuela Leitão (Máquina de Voar). Em 2014, viu o seu trabalho em exposição na Feira do Livro Infantil de Bolonha, na categoria Opera Prima, e foi premiada com a medalha de ouro da Society of Ilustrators pela série Little People. Vive e trabalha em Penafiel, cidade onde nasceu em 1973.

24 de abril de 2015

Presidente da Associação Portuguesa de Reiki lança o mais completo manual de Reiki em Portugal

Presidente da Associação Portuguesa de Reiki, que fundou em 2008, João Magalhães escreveu o mais completo manual de Reiki disponível em Portugal, O Grande Livro do Reiki, à venda a partir do dia 10 de abril (Nascente l 416 pp l 21,98€).
Este livro é um manual prático que ajuda a compreender o que é o Reiki e tudo aquilo que é possível atingir através dele. O Grande Livro do Reiki apresenta todas as etapas que devem ser percorridas, desde a iniciação ao Nível 1, até à preparação para chegar ao grau de Mestre. Por isso, é indicado para todos os que desejam fazer do Reiki a sua filosofia de vida: principiantes, praticantes e Mestres.

Um livro obrigatório que inclui:

• Explicação do que é o Reiki para não praticantes e a sua preparação para um curso de Reiki;
• Apresentação da história e dos símbolos de Reiki e um breve dicionário;
• Exemplificação das técnicas de Reiki e guia prático de referência — com figuras e imagens de apoio;
• Descrição dos diferentes níveis de Reiki. De Shoden a Shinpiden, do Nível 1 ao Nível 3, a Gokukaiden, ensinar a ensinar;
• Aplicação do Reiki — formas de viver esta filosofia de vida no dia a dia.

Com o número de praticantes de Reiki a aumentar diariamente em Portugal, e a aceitação cada vez maior desta terapia como forma complementar de tratamento por parte da comunidade médica, nomeadamente em hospitais (pediátricos, inclusive), o Reiki é, hoje, uma terapia em voga.

A Nascente disponibiliza os primeiros capítulos para leitura imediata, aqui.

Opinião - Um Casamento Feliz - Andrew Klavan


Título: Um Casamento Feliz
Autor: Andrew Klavan
Editora: Editorial Presença

Sinopse:
O psiquiatra Cat Bradley tem uma vida feliz: é um homem decente e íntegro, amado pelos filhos, respeitado pelos pacientes e com um sólido casamento de quinze anos com a mulher que ama. Até que uma noite um problemático adolescente chamado Peter Blue entra numa viagem de loucura que mudará para sempre a vida do médico. Depois de uma acesa discussão com a sua namorada, Peter incendeia a igreja local e aponta uma arma ao polícia da cidade, um homem que não perdoa nem esquece. Ao enfrentar a prisão seguido de um forte sentimento de desespero, Peter é enviado a Cal para tratamento, numa última tentativa de salvação. Para Cal é o princípio de uma viagem ao mundo do medo, decepção e crime.
Mas bizarramente, Cal descobre em Peter uma mente extraordinária, quase visionária, que o leva a questionar a sua própria vida, vendo-se obrigado a escolher entre aquilo em que acredita profundamente e aquilo que mais ama. Um thriller psicológico, bestseller nos EUA de um autor reconhecido e premiado, agora traduzido pela Presença.

Opinião por Sofia Carmo:
Geralmente os livros que se passam em famílias com filhos e histórias para contar, em que o narrador é participante, a meu ver, costumam ser narrados por uma mulher. Esta história é narrada por um homem, o marido da família, o que torna tudo diferente. Temos outra perspetiva, mais crua (as narradoras tendem a ter mais floreados).
O autor criou um enredo simples mas que conseguiu prender-me à leitura, pois desejava saber o que se ia passar a seguir, apesar de por vezes ser possível prever, mas ainda assim a incerteza quase que obriga a continuar a leitura.
Gostei do livro, não é dos meus preferidos mas é uma leitura fácil, meio intrigante e que entretém.

Porto Editora - "Dias de Sangue e Glória", de Laini Taylor

Segundo livro da trilogia bestseller de Laini Taylor é publicado a 17 de abril
Um mês depois de lançar o primeiro volume, a Porto Editora publica Dias de Sangue e Glória, o segundo livro da trilogia Entre Mundos de Laini Taylor. A propósito deste livro, a escritora Stephenie Meyer disse: «Li Dias de Sangue e Glória, de Laini Taylor, em apenas dois dias e fiquei completamente apaixonada. Obrigada pelas horas de leitura emocionante.»

Dias de Sangue e Glória dá continuidade à história iniciada com A Quimera de Praga, o livro que marcou o mercado livreiro nos EUA no ano da sua publicação e que foi aclamado por críticos e júris de prémios.

SINOPSE
Karou, antiga estudante de Arte, quimera revenante e aprendiz de ressurrecionista, tem finalmente as respostas que sempre procurou. Sabe quem é − e o que é. Porém, com este conhecimento vem outra verdade que ela daria tudo para desfazer: amou o inimigo e foi traída, e um mundo inteiro sofreu por isso.

Agora, sacerdotisa de um castelo de areia numa terra de poeira e estrelas, profundamente só, Karou tenta recriar o universo do seu passado, contribuindo, com a sua dor e a sua mágoa, para a volta gloriosa das quimeras.

Porém, sem Akiva, e sem o seu sonho de amor partilhado, o caminho da esperança afigura-se impossível de trilhar.

Repleto de desgosto e beleza, segredos e escolhas impossíveis, Dias de Sangue e Glória encontra Karou e Akiva em lados opostos de uma guerra tão antiga como o tempo.

PRIMEIRAS PÁGINAS
Disponíveis aqui.

O Que Aprendemos com os Gatos, de Paloma Díaz-Mas, nas livrarias a 17 de abril

«O mais prodigioso é como a capacidade de observação, a ternura e a consciência da dor e da morte podem criar um mundo tão rico e uma narrativa tão animada. Uma delicada joia.»
La Vanguardia
Paloma Díaz-Mas é uma das convidadas da 9a edição do LeV – Literatura em Viagem, que decorrerá entre 8 e 11 de maio, em Matosinhos.

Os seres humanos – pensa o gato – têm uma irremediável tendência para compreender tudo de forma distorcida. Isto porque os humanos partem da absurda crença de que são animais superiores, quando toda a gente sabe que os animais superiores são os gatos.

Os gatos – pensa a autora deste livro – têm muito para nos ensinar, mas para isso é necessário que estejamos atentos e dispostos a aprender.

São carinhosos, mas nunca submissos; confiantes, mas só se exercitarmos a virtude de uma conquista paciente; domésticos e independentes; aparentemente indefesos, mas na realidade muito mais preparados para a sobrevivência do que nós. E por baixo de um pelo de seda, ocultam-se as garras de uma fera e um corpo atlético invejável.

Um livro que é uma joia para qualquer bom leitor e absolutamente indispensável para todos os amantes de gatos.

Passatempo - Experiência Antárctica

A D'Magia em parceria com a Gradiva tem para oferecer dois exemplares de "Experiência Antárctica" de José Xavier.

Sinopse:
Há cientistas que vão até ao fim do mundo para encontrarem a Natureza em estado puro. É o caso de José Xavier, biólogo marinho premiado, que passou nove meses seguidos nos gelos da Antárctida, onde, apesar do clima adverso, o mundo vivo é espantoso e abundante. Neste livro conta-nos a aventura que é a experiência da descoberta científica no pólo e a vida longe da civilização.
Os jovens vão sentir-se seduzidos pela aventura. Os jovens de há mais tempo vão saber o que é a paixão pela ciência alimentada por uma voraz curiosidade. Empolgante.
Há cientistas que vão até ao fim do mundo para encontrarem a Natureza em estado puro.
É o caso de José Xavier, cientista polar da Universidade de Coimbra e do Instituto British Antarctic Survey (Reino Unido), que passou nove meses seguidos na Antárctida, primeiro a bordo de um navio científico e depois numabase de investigação.
Biólogo marinho a fazer investigação na Antárctida desde 1997, o seu objectivo é perceber como a biodiversidade em ambientes extremos é afectada por alterações climáticas. Neste livro ele conta-nos, em primeira mão, a aventura que é a experiência da descoberta científica nesta região polar. Em particular, como é viver efazer ciência com um grupo muito pequeno de outros cientistas, longe da civilização.
Todos os dias, incluindo sábados e domingos, são por eles aproveitados para observar e estudar a vida selvagem. Os jovens vão sentir-se seduzidos pela aventura. E os jovens há mais tempo vão saber o que é a paixão pela ciência alimentada por uma voraz curiosidade.
Hoje existe ciência polar em Portugal. Em forma de diário, Experiência Antárctica é o relato da vida de um cientista português num território distante e hostil: os gelos da Antárctida.
A sua leitura conduz-nos a paisagens onde, apesar do clima adverso, o mundo vivo é espantoso e abundante. Mas estará a biosfera ameaçada por problemas como o buraco de ozono e o aquecimento global?

Para te habilitares a ser o vencedor responde às seguintes perguntas:
1 - Qual a profissão de José Xavier?
2 - Em forma de diário, Experiência Antárctica é o relato da vida de?

E envia os teus dados pessoais (incluíndo o nome completo, morada e nome de seguidor no Facebook), com o assunto "Experiência Antárctica", até ao dia 13 de Maio, para literatura@dmagia.net
 
Regras do passatempo: 
1) Só aceitamos participações de residentes em Portugal. 
2) Podem participar todos os dias. No máximo de uma vez por dia. 
3) Só serão aceites participações de fãs e/ou seguidores. 
4) É obrigatório dar like no Facebook na Página D'Magia 
5) Ser fã do facebook e seguidor do blog dá direito a duas participações no passatempo.  Não te esqueças de referir o teu nome de seguidor no email juntamente com os teus dados
6) Poderás partilhar este passatempo numa rede social e via twitter uma vez por dia. Cada nova partilha conta como uma participação extra. Basta nos ires enviando os links.
7) O prémio é sorteado via random.org entre todos os participantes validados.   
8) Os vencedores serão contactados por email.
9) Não nos responsabilizamos por qualquer extravio no envio do prémio. 

Boa sorte a todos!!!

23 de abril de 2015

Opinião - Rendida - Sylvia Day


Título: Rendida
Autora: Sylvia Day
Editora: 5 Sentidos

Sinopse:
Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor.
A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado na minha vida até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia.
Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida.Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e… desejos.Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar.

Opinião por Fátima Quelhas:
Na minha opinião é um romance da nova vaga erótico.
Está uma escrita forte e fluída, sobre uma relação que começou de uma forte atração física, mas sobre a qual se vão desvendando tabus e traumas do passado, em que os sentimentos tomam lugar. Personagens tiradas de um qualquer conto de encantar moderno - muito ricos e muito belos, jovens e poderosos. Distantes do real, ou então uma elite fora do alcance.
Para mim é um romance que prende o leitor pelo carisma e envolvimento das personagens, em que, de tão volátil e fogosa, há muita ação/ conflito.
Quero ler o segundo, pois gostei da referência à violência infantil e quero saber como a história se desenrola e ver se realmente ficam juntos

22 de abril de 2015

Opinião - Revelação Inesperada - Andrea Kane


Título: Revelação Inesperada
Autora: Andrea Kane
Editora: Editorial Presença

Sinopse:
Autora bestseller do New York Times, Andrea Kane combina romance com suspense e apresenta um thriller explosivo que o vai manter acordado pela noite fora. Para leitores que apreciem thrillers com uma carga romântica, este é o livro indicado. Morgan Winter depois do trauma de ter descoberto há dezassete anos atrás os corpos dos seus pais assassinados numa cave, quando tinha apenas dez anos, refez a sua vida embora tentando exorcizar fantasmas do passado.
A verdade que ela não suspeitaria que agora o homem que confessou os crimes foi exonerado e o inquérito reaberto. Felizmente Morgan vai poder contar com a ajuda de Pete Montgomery, o detective nova-iorquino que acompanhou o caso e que actualmente se dedica à investigação privada. Os seus conhecimentos são fundamentais e para averiguar o verdadeiro criminoso dos homicídios irá pedir auxílio ao seu filho, um fotojornalista, pelo qual Morgan se irá apaixonar e viver um tórrido romance. No final as identidades dos assassínios serão uma surpresa para todos.

Opinião por Sara Micaela Soares:
Terminei de ler o livro há um dia e tive que expor a minha opinião porque o livro é fascinante!
É daqueles livros que a cada página que lês tens de continuar para saber como termina. Eu normalmente quando leio um livro mais ao menos no meio já tenho uma noção como termina, quem fica com quem, o que vai acontecer com o "fulano e o Sicrano" e assim sucessivamente. Neste livro é impossível descobrir quem foi o assassino dos pais da protagonista. É um enredo fabuloso!
A cada página descobres uma nova verdade e uma nova pista que vai fazer com que a tua ideia inicial seja modificada. Só mesmo nos últimos capítulos, refiro-me apartir do penúltimo é que tens uma vaga ideia de quem foi o autor dos crimes, mas acredita que até no final tens uma enorme surpresa! Este livro é daqueles livros que se o comparares com a vida real percebes que o mundo é mesmo pequenino e que todas as vidas quase se cruzam, mesmo que não tenhas comunicado com tal pessoa, no futuro talvez essa pessoa se cruze novamente contigo e te apercebas que há uns anos atrás estiveste no mesmo sítio, a mesma hora e não a conhecias e nem tiveste uma relação com essa pessoa. São questões da vida que ninguém esta livre e nem pode evitar. Em suma, aconselho a todos os apaixonados pela leitura a ler este livro, vão adorar! Foi o meu primeiro thriller e amei a experiência!